• Paraíso17

Casal de Nova Andradina está com bebê diagnosticado com leucemia rara nos EUA

Pais realizam campanha para custear as despesas de tratamento
*Glaucia Piovesan, Da Redação / Imagens: Redes Sociais
13/12/2016 07h00
Rafael Minini Ogura de 30 anos e Renata Ogura de 29 anos, moradores de Nova Andradina, com o filho Benjamin Ogura / Imagens: Redes Sociais

O casal de Nova Andradina, Rafael Minini Ogura de 30 anos e Renata Ogura de 29 anos, moradores de Nova Andradina, descobriu há menos de um mês, que seu filho, Benjamin Ogura, é vítima de uma leucemia rara.

 

O bebê, que nesta segunda-feira (12), completou 10 meses, foi diagnosticado com leucemia mielóide aguda com diferenciação monocítica, no início deste mês de dezembro em Miami, nos Estados Unidos.

 

Os primeiros sintomas vieram quando Benjamin teve uma paralisia que atingiu o lado direito do seu rosto, em 21 de novembro passado. Após tratamento, os pais contam que o bebê melhorou, mas durante o acompanhamento pós-paralisia, ele teve febre por alguns dias. Os médicos solicitaram exames de sangue complementares mais detalhados, que constataram a leucemia.

 

No dia 7 de dezembro, o tratamento da doença começou nos EUA.  Foi instalado um cateter no bebê para que fosse iniciada a quimioterapia e retirado líquido da medula óssea.

 

Devido à forte medicação e da quimio, o sistema imunológico de Benjamin enfraqueceu e ele adquiriu pneumonia, indo para a UTI do Miami Chidrens’ Hospital, onde segue internado até hoje. O tratamento está sendo feito com duas sessões diárias de quimioterapia, mais intensivo e forte nesse primeiro mês porque os médicos pretendem eliminar a maior parte das células cancerígenas logo no início.

 

A mãe do bebê, Renata, revela que serão no mínimo 6 meses de quimioterapia. “Segundo os médicos, como é um tipo raro de leucemia e o tratamento está sendo intensivo, a equipe médica deu a ele 60% de chance de cura. Nós queremos acreditar que ele vai ser curado 100%”, disse.

 

A família também afirma que após algumas sessões de quimioterapia, caso o tratamento não venha a surtir o efeito esperado, Benjamin poderá ser submetido a um transplante de medula.

 

Campanha online para custear as despesas

Como os pais de Benjamin precisam acompanhar o tratamento do filho 24 horas do dia, ainda sem saber por quanto tempo vai permanecer fora do país, o vendedor Rafael e a enfermeira Renata, que atualmente estava sem trabalhar, criaram uma campanha online no Gofundme para ajudar a custear as despesas.

 

Os pais afirmam que a criança tem um seguro médico, mas estão preocupados porque ainda não sabem como será a cobertura do tratamento. “Como o quadro dele mudou e teremos que renovar o seguro, não sabemos como ficará daqui pra frente, se o seguro cobrirá tudo ou não”, declara Renata. *Com informações Gazeta News

 

Quem quiser e puder doar, a campanha no Gofundme pode ser acessada pelo link gofundme.com/benjamin-ogura-9months-leukemia

 

Quem quiser fazer a doação por depósito segue os dados:

Rafael Minini Ogura
CPF: 700.438.101-36
Banco do Brasil
Agência: 0728-5
CC: 35801-0





VEJA MAIS