• Paraíso17

Nova Andradina é a 3ª cidade do MS que mais gerou empregos no 1º trimestre

Cidade Sorriso só fica atrás de Três Lagoas e Campo Grande
José Antônio de Andrade, Da Redação / Imagens: Reprodução/Caged
21/04/2017 08h00
O comércio foi o setor que registrou maior retração em março / Imagens: Reprodução/Caged

Com pouco mais de 50 mil habitantes, Nova Andradina foi o terceiro município do Estado de Mato Grosso do Sul que mais fez contratações com carteira assinada no primeiro trimestre de 2017. Nos três primeiros meses do ano, foram registrados 329 novos postos de trabalho com carteira assinada. No período verificado, foram 1.528 contratações contra 1.199 demissões. A cidade só fica atrás de Três Lagoas, com saldo positivo de 774 admissões, e  Campo Grande, com saldo positivo de 435 contratações.

 

Apenas em março, último mês da análise, Nova Andradina registrou um total de 609 contratações contra 445 desligamentos, o que gerou um saldo positivo de 164 novas oportunidades de emprego. As informações são do Jornal da Nova, com base nos dados do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados), do Ministério do Trabalho, divulgados na tarde desta quinta-feira (20).

 

Empregos por setor

A indústria, setor que mais emprega no município, foi novamente o grande destaque na expansão do emprego, com 134 postos criados. O setor de serviços vem em seguida, com saldo positivo de 18 postos, seguido por agronegócio, com 17 postos criados. O setor da construção civil teve saldo zero, enquanto o setor do comércio teve desempenho negativo, com encerramento de 7 postos.

 

Os números negativos do comércio estão relacionados à redução nas vendas de lojas de roupas, calçados, confecções e acessórios em geral. Mas devido à chegada mais cedo, do inverno, e do aumento de festividades na região, a expectativa de lojistas é de melhora na economia do setor, já neste mês. Consequentemente, haverá demanda para maior numero de contratações no setor lojista.

 

Emprego na região

Em Janeiro, além de Nova Andradina, os municípios que mais criaram vagas de empregos na região foram Ivinhema (+116 postos), Deodápolis (+29 postos), Angélica (+23 postos), Novo Horizonte do Sul (+4 postos) e Taquarussu (+2 postos).

 

A lista negativa do desemprego na região ficou por conta dos municípios de Bataguassu (-23 postos), Batayporã (-15 postos) e Anaurilândia (-11 postos de trabalho).

 

Mato Grosso do Sul

Com 21.556 contratações e 20.311 desligamentos, Mato Grosso do Sul teve resultados positivos em quase todos os setores, com destaque para a indústria de transformação, com a criação de 770 empregos e contratação de 3.694 trabalhadores; construção civil, com 2.169 contratações e 465 novas vagas; agropecuária, com 3.575 contratações e 305 novos empregos; e serviços, com 7.212 contratações e 245 vagas.

 

O resultado ruim ficou por conta do comércio, que amargou retração. O setor fechou 512 vagas no mercado formal de trabalho.

 

No trimestre, MS acumula saldo de 4.872 empregos, com 64.688 contratações e 59.816 desligamentos. E nos últimos 12 meses, o estado é o único do país com saldo positivo na criação de empregos. Foram criadas 1.483 vagas no acumulado.

 

Brasil

O país perdeu 63.624 vagas de emprego formal em março, de acordo com dados do Caged. No mesmo mês do ano passado, a retração foi de 118 mil postos de trabalho.

 

Em fevereiro, o resultado havia sido positivo, com a criação de 35.612 vagas formais, o que levou o presidente Michel Temer a comemorar a retomada da criação de empregos depois de 22 meses seguidos de queda.

 

O mês de março apresentou uma variação negativa de -0,17% em relação ao estoque do mês anterior. Foram registradas 1.261.332 admissões contra 1.324.956 desligamentos. No acumulado do ano, a queda foi de 64.378 postos de trabalho.

 

O comércio foi o setor que registrou maior retração em março (-33.909 postos), seguido do setor de serviços (-17.086 postos), construção civil (-9.059 postos), indústria de transformação (-3.499 postos) e agricultura (-3.471 postos).





  • subway41

VEJA MAIS