• Paraíso17

Lembrança da infância

*Leonardo Gonçalves da Silva
18/05/2017 14h25

Hoje, andando por esses estradões de fazenda, me deparei com uma bezerra, muito parecida com a primeira bezerra que ganhei, e isto me fez voltar à infância.

 

Há algum tempo, na inocência da infância, eu estava no sítio de meu avô me divertindo. Logo, sem perder tempo, pedi a meu tio que me desse uma bezerra; falei naturalmente e impactante, assim como a luz do sol nascendo. Ele me deu uma bezerra que havia nascido há poucos dias. Um pouco mais tarde, fomos ao pasto ver o meu novo animal. Para criança, tudo é uma grande surpresa, assim como um ovo de Páscoa. Porém, para mim, também era medo, como daquelas pessoas em filme de terror. E a mãe da minha nova bezerra não era uma das mais mansas, fazendo com que ela viesse para cima de nós, como… afinal é instinto animal.

 

Mas, no final, tudo ocorreu bem, e ainda voltei para minha casa, com uma felicidade, igual à dos apostadores daquelas corridas de cavalo. Contei todo acontecido, de um jeito que não fosse uma simples história, mais uma “Grande história”, com valentia e coragem, como aquela odisseia mitológica de Hércules.

 

Daquele dia em diante, o meu amor pelo campo e pela lida com o gado só veio a aumentar, como se tivesse nascido na fazenda. Aquele dia foi simples para todos, como as quartas-feiras. Porém, para mim, foi a chance de escolher o caminho para o meu “futuro perfeito”.

 

O tempo foi passando e a inocência também, mas de muitas coisas que já me esqueci, esta ainda sobrevive em mim. E foi a partir de mais uma daquelas “quartas-feiras" que hoje escuto o começo de meu sonho.

 

* Estudante do curso Técnico Integrado em Agropecuária do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Mato Grosso do Sul (IFMS), campus: Nova Andradina. Gosta de curtir momentos na natureza, não perde uma boa roda de tereré e de viola. Fazer amizade? Fácil! Fale sobre o campo e a lida de gado e terá um grande amigo para ouvir suas histórias.






VEJA MAIS