• Paraíso17

Vereador Wilson Almeida relata perseguição para votar a favor de base governista

Parlamentar chegou a registrar boletim de ocorrência por difamação e prometeu levar caso à Justiça
Da Redação / Imagens: Jornal da Nova
07/12/2017 07h00
Vereador Wilson Almeida (PT) / Imagens: Jornal da Nova

Eleito pela oposição com 514 votos, o vereador Wilson Almeida (PT) relatou, em entrevista ao Jornal da Nova, o que classificou como “perseguição” para que passe a votar favorável à base governista do Executivo na Casa de Leis de Nova Andradina.

 

O parlamentar, inclusive, procurou a Delegacia de Polícia Civil para registrar um boletim de ocorrência por difamação e prometeu levar o caso à Justiça. Conforme Wilson, há 20 dias tem recebido ameaças de que, caso não mudasse sua postura na Câmara, seria denunciado por assédio sexual contra uma servidora pública. 

 

“Nunca votei e jamais votarei a favor de ‘A’ ou ‘B’. Voto a favor do que avalio ser melhor à população. Assim que soube dessa chantagem, tomei a iniciativa de procurar a polícia, apontando as pessoas que tem se utilizado desse tipo de manobra, para que os investigadores apurem os fatos e, posteriormente, levemos à Justiça”, pontuou. 

 

Wilson comentou que é servidor efetivo da Prefeitura há mais de 10 anos, na função de motorista, e que jamais se envolveu em polêmicas. “Doei mais de 10 anos da minha vida ao serviço público e acho no mínimo estranho uma conversa como essa vir à tona justamente agora que ocupo um cargo eletivo e de oposição”, argumentou. 

 

Sobre a decisão de registrar o boletim de ocorrência, o vereador destacou que optou em efetuar o procedimento “por não ter nada a esconder”. “A princípio pensei em não registrar, para não expor minha família, mas depois de conversar com minha esposa tomei essa decisão, pois tenho que defender o meu nome e o da minha família”, disse.

 

Após as investigações, o parlamentar, que é pai de duas crianças, afirmou que levará o caso “até as últimas consequências para que os culpados sejam responsabilizados”. “Sou um vereador independente e que faz o que acha correto. Algumas pessoas podem não concordar, mas devem respeitar. Isso é a democracia”, enfatizou. 

 

Por outro lado, Wilson Almeida lamentou a situação. “Por mais que eu esteja de consciência tranquila, isso é algo que mexe com a gente, com a família e nos deixa tristes, pois são pessoas querendo ferir a sua índole e que não medem esforços para te prejudicar pelo simples fato de não aceitarem ouvir um ‘não’”, concluiu. 






VEJA MAIS