• Paraíso17

Tentativa de abuso sexual culminou na morte de Vitor Peixinho, aponta investigação

Adolescente de 17 anos confessou autoria do crime e já está detido
Luis Gustavo, Da Redação / Imagens: Luis Gustavo/Jornal da Nova
14/03/2018 11h33
Blusa vermelha do acusado de matar a criança / Imagens: Luis Gustavo/Jornal da Nova

A Polícia Civil de Nova Andradina esclareceu a morte de Vitor Figueiredo Rodrigues Peixinho de 10 anos, além de identificar e apreender o acusado, um adolescente de 17 anos. O resultado da investigação foi divulgado na manhã desta quarta-feira (14) pelo delegado regional André Novelli.

 

Leia também

>> População clama por Justiça em frente à Delegacia de Nova Andradina

>> Necropsia do corpo de Vitor foi realizada em Nova Andradina

>> Menino desaparecido foi encontrado morto próximo de sua casa no Argemiro Ortega

>> Família, amigos e voluntários fazem buscas pela criança desaparecida em Nova Andradina

>> Criança de 10 anos está desaparecida em Nova Andradina 

 

De acordo com ele, Vitor foi vítima de um homicídio, após o acusado ter tentado abusar sexualmente da criança. O autor do crime foi identificado e apreendido ainda na terça-feira (13), mesmo dia em que o corpo foi encontrado em cima de um telhado. 

 

Para a elucidação do crime, André Novelli destacou o papel do corpo de peritos de Nova Andradina e a atuação do médico legista local, além do trabalho de investigação dos policiais civis.

 

De acordo com o delegado, o acusado – que mora no mesmo bairro da vítima – teria agido sozinho em todas as fases do crime. “Ele saiu de uma balada no distrito industrial (no sábado à noite), voltou para o bairro (já na manhã de domingo), quando se deparou com a criança”, contou Novelli.

 

Vitor Figueiredo estava a caminho da casa da avó – a menos de cem metros da residência de seus pais – quando o adolescente de 17 anos lhe atraiu oferecendo um tênis, levando-o para sua casa, que estava vazia, visto que os pais do acusado se encontravam em Nova Casa Verde.

Delegado Regional de Polícia Civil, Dr. André Novelli – Foto: Luiz Gustavo/Jornal da Nova

“Ele despiu o menino, tentou manter relações, mas não conseguiu, pois ele chorou e gritou. Então, a forma de silenciar foi sufocando. Como não queria o corpo ali, deixou no telhado da vizinha e foi embora”, acrescentou o delegado.

 

As investigações apontam que o corpo teria sido colocado no telhado no domingo até que, na terça-feira, por conta do odor, vizinhos o localizaram. Ele confessou o crime e, em conversa com a mãe (por mensagem de celular), havia dito que precisava fugir, pois havia matado uma pessoa.

 

O adolescente irá responder às aplicações legais que o caso requer e será encaminhado para a Unei (Unidade Educacional de Internação) de Dourados.



Galeria de Imagens / Imagens: Luis Gustavo/Jornal da Nova






VEJA MAIS