• Paraíso17

Chef Anthony Bourdain se suicidou com cinto de roupão

O chef foi encontrado morto na última sexta-feira, na França
Band / Imagens: Reprodução/Facebook
11/06/2018 11h20
Anthony Bourdain tinha 61 anos e deixou uma filha / Imagens: Reprodução/Facebook

O chef e apresentador norte-americano Anthony Bourdain, encontrado morto na última sexta-feira (8), aos 61 anos de idade, se suicidou com um cinto de roupão no banheiro do hotel onde estava hospedado, em Kaysersberg, na França.

 

A informação foi dada pelo procurador da vizinha Colmar, Christian de Rocquigny, em entrevista à Associated Press. Ele acrescentou que não há indícios de que alguém tenha entrado no quarto. Também não há sinais de violência no corpo de Bourdain.

 

Os restos mortais passarão ainda por exames toxicológicos, para saber se o chef estava sob efeitos de remédios ou drogas. O objetivo é ajudar a família a entender o que pode tê-lo levado a tirar a própria vida.

 

Bourdain estava em Estrasburgo para gravar um episódio de sua série, Parts Unknown (Sem Reservas), exibida pela CNN e na qual ele fazia aquilo que o tornou famoso no mundo todo: viajar a lugares dos quatro cantos do planeta para exibir as peculiaridades de sua gastronomia.

 

O chef deixou uma filha e tinha um relacionamento com a atriz, diretora e ativista italiana Asia Argento, que disse estar "mais do que devastada" com a morte do companheiro e pediu "privacidade".

 

Alerta

A morte de Bourdain mais uma vez alerta para a necessidade de debater um tema importante, mas ainda considerado tabu: o suicídio.

 

O psiquiatra do Instituto de Psiquiatria da USP e colunista da BandNews FM, Daniel Barros, afirmou que é essencial colocar em evidência casos desse tipo, para que pessoas em situação semelhante possam procurar ajuda.

 

A ONU estima que, por ano, 800 mil pessoas cometam suicídio no mundo; e 90% dos casos tem relação com transtornos mentais, de acordo com o colunista.

 

O psiquiatra Daniel Barros ressaltou ainda que familiares e amigos próximos podem ficar atentos a alguns sinais que indicam uma possibilidade de suicídio.

 

Para quem busca ajuda, além de psicólogos e psiquiatras, o Centro de Valorização da Vida (CVV) oferece apoio online no site http://www.cvv.org.br, pelo telefone 141 ou 188 (dependendo do estado), via Skype (acesso pelo site), ou e-mail (mensagem enviada também pelo site). Em todos os canais, o atendimento é feito por voluntários treinados e a conversa é anônima, com sigilo completo sobre tudo que for dito.






VEJA MAIS