• Paraíso17

Gaeco volta a Nova Andradina e deflagra operação contra suspeitos de integrar o PCC

Equipes da Força Tática ajudaram na ação desta terça-feira (12)
Luis Gustavo, Da Redação / Imagens: Jornal da Nova
12/06/2018 09h00
Agentes do Gaeco saindo de uma das residências alvo da operação / Imagens: Jornal da Nova

Agentes do Gaeco (Grupos de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado), grupo especializado do MPE (Ministério Público Estadual) em ação conjunta com a Força Tática do 8º Batalhão da Polícia Militar de Nova Andradina, deflagram nesta manhã de terça-feira (12), a “Operação Paiol” visando o combate ao tráfico de drogas em Nova Andradina, a ação já culminou em pelo menos uma prisão. Pelos menos três alvos da operação já foram cumpridos os mandados de busca e apreensão. Ação é para desarticular integrantes dos PCC (Primeiro Comando da Capital), facção criminosa que age dentro e fora dos presídios.

 

Conforme apuração do Jornal da Nova, dentre as residências alvo das operações, os policiais já realizaram buscas em uma casa na avenida José Heitor de Almeida Camargo, região central, o suspeito não estava no local. Em um imóvel na rua Santa Lúcia, Vila Operária, de Gabriel da Silva Conceição de 20 anos, que está preso desde o dia 10 de janeiro deste ano, pelo crime de tráfico de drogas, prisão efetuada na época pela Força Tática. Neste imóvel um homem foi preso por posse de munições e levado para a Delegacia de Polícia Civil, onde o caso foi registrado.

 

|Leia também

| Canais de denúncia leva Força Tática a prender suspeito traficando drogas

 

Já no endereço da rua Anaurilândia, bairro São Vicente de Paula, os policiais realizaram buscas pelo imóvel e nada foi apreendido, a jovem residente do local, Estefani Leticia Moraes dos Santos de 18 anos, também está presa por tráfico de drogas, desde abril deste ano, também pela Força Tática.

 

|Leia também

| Grávida com crack escondido na calcinha é presa pela PM em Nova Andradina

 

Segundo nota do MPE, a operação Paiol tem por objetivo o cumprimento de 27 mandados de prisão preventiva e 12 mandados de busca e apreensão, para combater a prática dos crimes de organização criminosa, tráfico de drogas, roubo, tráfico de armas e lavagem de dinheiro, praticados por membros da organização criminosa denominada PCC.

Equipes da Força Tática de Nova Andradina deram apoio a ação – Foto: Jornal da Nova

As investigações tiveram início em junho de 2017 e o foco era identificar pessoas integrantes da facção criminosa do Primeiro Comando da Capital, atuantes no Estado de Mato Grosso do Sul, cujas atividades eram voltadas a cuidar do setor responsável pela aquisição, guarda, comercialização e empréstimo de armas de fogo, utilizadas pelos faccionados para o cometimento dos mais diversos crimes.

 

O nome da operação - "Paiol"- refere-se justamente à nomenclatura utilizada pela organização para referir-se ao local/setor onde são armazenados os armamentos do grupo.

 

Durante o transcorrer das investigações, além das prisões, outras sete pessoas foram presas em flagrante delito por tráfico e porte de arma de fogo de uso proibido.

Equipes do Gaeco e Força Tática em um dos endereços alvos da operação – Foto: Jornal da Nova

A Operação Paiol está em andamento e já foram apreendidos 800 gramas de skunk, 343 munições e cinco armas de fogo, dentre elas uma submetralhadora, marca Hugger - calibre 9mm e um Fuzil SL 15, marca Spike Táctica.

 

Outros alvos ainda estão sendo investigados, mandados de busca e apreensão estão sendo cumpridos na cidade e em outros municípios, como Campo Grande, Corumbá e em Águas Lindas de Goiás, Estado de Goiás.



Galeria de Imagens / Imagens: Jornal da Nova






VEJA MAIS