• Paraíso17

Só com diárias, vereadores do PSDB de Batayporã ''tiraram'' mais que o próprio salário

Apesar de ser um dos menores municípios de Mato Grosso do Sul, Câmara é conhecida na região por liderar gastos com pagamento de viagens
Da Redação / Imagens: Câmara de Batayporã/Divulgação
02/07/2018 11h00
Presidente da Câmara, Cícero Leite, Nivaldo Brejo, Danilo Enz, todos do PSDB / Imagens: Câmara de Batayporã/Divulgação

Somente com diárias, o trio de vereadores do PSDB de Batayporã, Cícero Leite, Nivaldo Brejo e Danilo Enz, conseguiram “tirar” mais que o próprio salário em maio deste ano. 

 

Cada parlamentar recebe o subsídio mensal no valor de R$ 5.500,00, mas, neste mês em específico, foram contemplados com mais R$ 6.030 referentes ao pagamento de viagens, totalizando R$ 11.530,00 (valor da remuneração somado às diárias concedidas).

 

Pautado em outras ocasiões pelo Jornal da Nova, o assunto veio à tona novamente na última semana por conta de um vídeo gravado em frente à Casa de Leis do município, pelo policial civil Tiago Vargas, e postado em suas redes sociais. 

 

“Esses vereadores torram dinheiro público [...]. Estou esperando o processo, terei um enorme prazer de falar em juízo”, escreveu ele, recebendo inúmeras curtidas, comentários e compartilhamentos. 

 

A exemplo de outras ocasiões, o caso logo repercutiu em todo o município, especialmente pela crise vivenciada em Batayporã, como a falta de emprego, queda na arrecadação, corte de investimentos, atrasos no salário do funcionalismo público entre outros.

 

Apesar de ser um dos menores municípios de Mato Grosso do Sul, a Câmara de Vereadores de Batayporã é conhecida na região por liderar gastos com diárias. Para se ter uma ideia, somente nos seis primeiros meses deste ano foram desembolsados R$ 115.039,00 para custear viagens.

 

O valor é considerado alto, especialmente se comparado com Nova Andradina, cidade distante 9 quilômetros de Batayporã. Mesmo com quatro vereadores a mais, a “Cidade Sorriso” gastou neste semestre R$ 44.642,40.






VEJA MAIS