• Paraíso17

Cenário político pode sofrer reviravolta com absolvição de Delcídio

O ex-senador vai recorrer ao STF para anular os efeitos da inelegibilidade
Da Redação / Imagens: Arquivo/Divulgação/Agência Senado
13/07/2018 07h40
Ex-senador da república, Delcídio do Amaral / Imagens: Arquivo/Divulgação/Agência Senado

Cenário eleitoral de 2018 pode sofrer reviravolta com a absolvição do ex-senador Delcídio do Amaral (PTC-MS). “Com essa absolvição, a ideia inicial é Delcídio candidato ao senado, nome muito forte”, afirmou o correligionário de Delcídio, o ex-senador, Antônio João Hugo Rodrigues (PTC-MS) que lançou pré-candidatura para deputado estadual.

 

A expectativa de que Delcídio fosse inocentado era grande entre os integrantes do partido, já que a própria promotoria de Brasília, do Ministério Público pediu absolvição dele.

 

O pré-candidato a deputado estadual, Antonio João também defende que, apesar de se ter apenas duas vagas ao senado, em que Nelson Trad (PTB), José Orcírio dos Santos (PT) e Waldemir Moka (MDB) são nomes de relevância no pleito, contudo, com a chegada de Delcídio, o cenário ficaria mais apertado, na análise de Antonio João.

 

Na leitura do ex-senador, Delcídio teria sido injustiçado ao ser acusado de tentar comprar o silêncio do ex-diretor da Petrobras Nestor Cerveró e agora seu correligionário voltará com mais força. “Ele vem sem cara de tornozeleira, vem liberado para ser candidato, vem inocentado, vem pronto!”, acrescentou Antonio João.

 

O ex-senador disse também que devido a demora na sentença de absolvição, não foi possível lançar Delcídio como pré-candidato a Governo do Estado. “Mas se ele decidir ‘esculhambar’, ele também é um candidato muito forte”, declarou o ex-senador, lembrando que Delcídio é um grande apoiador da pré-candidatura de André Puccinelli (MDB) para governador do Estado. 

 

O ex-senador já adiantou que irá recorrer ao STF para anular os efeitos da inelegibilidade da cassação do seu mandato pelo Senado e deverá anunciar candidatura, futuramente. Com Correio do Estado






VEJA MAIS