• Paraíso17

IFMS premia trabalhos científicos de Nova Andradina e região

Os trabalhos ficaram expostos para avaliadores e visitantes ao longo da semana, no Tatersal de Leilões
IFMS / Imagens: Divulgação
10/10/2018 14h00
Fecinova premiou seus participantes e lotou a Câmara dos Vereadores de Nova Andradina / Imagens: Divulgação

A Semana de Ciência e Tecnologia do Campus Nova Andradina do Instituto Federal de Mato Grosso do Sul (IFMS) foi encerrada na última sexta-feira (5), com a cerimônia de premiação da Feira de Ciência e Tecnologia de Nova Andradina (Fecinova).

 

O evento reuniu 87 trabalhos nos níveis fundamental II (6º a 9º ano) e médio/técnico integrado, além de mais sete na Feira de Geociências, promovida junto aos estudantes do nível fundamental I (1º a 5º ano). Participaram delas alunos e professores de Batayporã, Ivinhema, Nova Andradina, Novo Horizonte do Sul e Taquarussu.

 

Os trabalhos ficaram expostos para avaliadores e visitantes ao longo da semana, no Tatersal de Leilões de Nova Andradina. Todos os participantes da Fecinova receberam certificados.

 

Foram premiados os melhores trabalhos nas áreas de Ciências Biológicas e da Saúde; Exatas e da Terra; Humanas, Sociais Aplicadas e Linguística; Agrárias e Engenharias; e Multidisciplinar. Também foram contemplados os melhores pôster/banner, maquete/protótipo, apresentação oral, relatório e projeto de nível fundamental e médio/técnico integrado.


Outros prêmios concedidos foram Voto Popular (concedido aos trabalhos com maior interação via redes sociais), “Estrelas Além do Tempo” (para projetos desenvolvidos pelas estudantes participantes), Projeto Revelação, Projeto em Equipe, Projeto Individual, Despertar para a Inovação e menção honrosa do Grêmio Estudantil da unidade.

 

A Fecinova concedeu ainda credenciamento para outros eventos científicos como a Feira de Tecnologias, Engenharias e Ciências de MS (FetecMS) e V Workshop de Ensino, Pesquisa, Extensão e Inovação do Instituto Federal de Mato Grosso (IFMT).

A edição de 2018 reuniu o maior número de trabalhos registrados até hoje e envolveu aproximadamente 450 participantes, entre autores e orientadores.

 

“Foi um evento de grande importância para nossa região. Nele, os estudantes puderam expor seus trabalhos, permitindo que o público conhecesse um pouco mais das pesquisas desenvolvidas no Vale do Ivinhema. Esperamos continuar evoluindo, ampliando o número de trabalhados a cada ano”, ressaltou o coordenador da Fecinova, Ricardo Caramit, docente do Campus Nova Andradina.

 

Premiados 

Na categoria ensino fundamental, o primeiro lugar geral ficou com o trabalho “Recuperação e preservação de nascentes: uma alternativa de melhoria socioambiental para pequenos produtores rurais de Nova Andradina/MS”.

 

O projeto foi desenvolvido pelos estudantes Kayky Yuji, Ivo Baldasso Neto e Maria Fernanda Riqueti, sob a orientação das professoras Lis Moreira e Elisete Pedro, na Escola Municipal Professor Delmiro Salvione Bonin, que fica em Nova Casa Verde, distrito de Nova Andradina.

 

Pautado na educação ambiental, o trabalho visa promover ações de recuperação e preservação do Córrego Mangaba, situado na região. “Por meio da intervenção ambiental, já promovemos o plantio de mudas nativas do cerrado e frutíferas, com a ajuda do Poder Público. Continuaremos desenvolvendo o projeto ano que vem e já temos outras ações planejadas como a implantações de viveiros”, destacou Lis.

Já na categoria ensino médio/técnico integrado, o vencedor geral foi “Memória e identidade: uma aplicação web para registro de biografias históricas de Nova Andradina/MS”, feito pelos estudantes Ana Clara Carvalho, Ana Clara Silva e Carlos Eduardo Giacomini, sob a orientação dos docentes Fernando Balbino e Claudinei dos Santos. O trabalho foi desenvolvido em conjunto pelo Campus Nova Andradina do IFMS e pela Escola Estadual Nair Palácio de Souza, também do município.

 

O projeto se baseia no desenvolvimento de um software que disponibiliza um repositório digital com biografias históricas de personagens importantes para a história o município.

 

“O objetivo era justamente contar a história de Nova Andradina por meio da biografia de pessoas homenageadas pelo município, cujos nomes foram atribuídos a vias públicas, aproveitando os recursos tecnológicos de que dispomos atualmente”, explicou Balbino, professor do Campus Nova Andradina.

 

O resultado do trabalho está disponível no endereço memoriaidentidade.herokuapp.com/






VEJA MAIS