• Paraíso17

Quadrilha que explodiu bancos deixou para trás R$ 170 mil

Polícia investiga se quadrilha presa em MG é a mesma que agiu em MS
Da Redação / Imagens: Divulgação
09/11/2018 07h00
Escombros em banco, após a explosão / Imagens: Divulgação

A quadrilha que explodiu duas agências bancárias em Chapadão do Sul, na madrugada de quarta-feira (7), deixou para trás R$ 170 mil. O dinheiro estava embaixo de um dos cofres explodidos, mas não sofreu nenhum dano. O valor total levado pelos criminosos ainda está sendo contabilizado, mas é superior a R$ 50 mil, dinheiro furtado de apenas uma das agências.

 

Leia também

|Quadrilha explode caixas eletrônicos e cofres de bancos em Chapadão do Sul

 

De acordo com o delegado Fábio Peró, da Delegacia Especializada Repressão a Roubos a Banco, Assaltos e Sequestros (Garras), há suspeitas de que a quadrilha seja a mesma que agiu na cidade Frutal, Minas Gerais, na madrugada de ontem.

 

Na cidade, houve troca de tiros, uma comerciante e dois criminosos morreram, além disso, uma adolescente foi atingida por bala perdida. Equipes estão nas ruas da cidade e região em busca dos autores que conseguiram fugir. Até o início da tarde esta quinta-feira (8), três suspeitos foram detidos.

 

“Tem grande chances de ser a mesma quadrilha. Calibres utilizados eram os mesmo e os veículos tinham as mesmas características. Faremos perícia para saber se as munições usadas aqui e lá saíram das mesmas armas e também vamos pedir a quebra de sigilo telefônico, para saber se os aparelhos aprendidos lá estiveram aqui em MS”, explicou o delegado.

 

O delegado e uma equipe envolvendo policiais do Garras e do Batalhão de Operações Especiais da Polícia Militar (Bope) ainda está em Chapadão do Sul investigando o crime.

 

Chapadão do Sul

A agência do Banco do Brasil, localizada na Avenida 11, teve dois cofres destruídos e o dano das explosões chegou a comprometer o prédio. Já na unidade da Caixa Econômica, que fica a 250 metros de distância, na Avenida Seis, todos os caixas eletrônicos foram arrombados.

 

Duas lojas, uma ótica e uma venda de roupas masculinas, também foram saqueadas. Por atribuição, a Polícia Federal vai investigar o roubo à Caixa Econômica e a Polícia Civil fica responsável pelo inquérito que envolve o Banco do Brasil.

 

Procurado, o Banco do Brasil informou que a agência alvo de ataques criminosos teve toda a sua estrutura prejudicada e, ainda que os fornecedores já tenham sido acionados, não há como determinar a reabertura da unidade por enquanto.

 

Frutal - Minas Gerais

A polícia contou que por volta da 1h30 aproximadamente 15 criminosos arrombaram agências da Caixa Econômica Federal e Banco do Brasil, no centro da cidade, mas não conseguiram explodir caixas. Eles também tentaram invadir o Santander, mas a polícia chegou ao local e impediu o roubo. 

 

Houve troca de tiros e dois assaltantes, de idades não divulgadas, foram atingidos e morreram na hora.

 

Durante a fuga, os autores renderam e atiraram contra uma comerciante. Segundo o Corpo de Bombeiros, equipes foram chamadas para socorrer a vítima.

 

No local, testemunhas contaram que estavam dentro de um estabelecimento comercial quando viram cinco homens encapuzados e armados batendo na porta. Os criminosos queriam o veículo da mulher.

 

A Polícia Militar também informou que foram encontradas munições de fuzis, submetrelhadoras, escopetas e pistolas, sendo que parte dessas armas são de uso exclusivo das forças armadas. Vidros das vitrines de algumas lojas próximas aos bancos ficaram estilhaçados ao serem atingidos durante a troca de tiros. Com informações G1






VEJA MAIS