• Paraíso17

Homem é preso por armazenar pornografia infantil em Dourados

Luis Gustavo, Da Redação / Imagens: Osvaldo Duarte
12/01/2019 16h00

Um homem de 54 anos, foi preso na tarde de quinta-feira (10) em Dourados, por armazenar vídeos e fotos de pornografia infantil. 

 

Segundo o boletim de ocorrência, a denúncia foi feita pela proprietária de uma lan house, que notou o conteúdo após utilizar o pendrive para realizar um serviço de impressão.

 

O pendrive estava na posse de outro homem, que relatou aos policiais que o verdadeiro proprietário era um senhor na qual ele prestou serviços técnicos na residência dele. O homem relatou ainda que estava precisando ir até a lan house para realizar as impressões e apenas pegou o mesmo emprestado que estava no receptor da TV, alegando não ter conhecimento do referido material pornográfico em seu interior.

 

Os policiais checaram a informação e foram até a residência do homem indicado como o verdadeiro dono do objeto. Ele confirmou que possuía o pendrive e afirmou que a criança que aparece nas filmagens tem sete anos e seria filha de uma namorada. 

 

O suspeito disse ainda que ele mesmo produziu a filmagem da criança só de calcinha no sofá, alegando que estava apenas realizando uma brincadeira.

 

A polícia apreendeu na residência diversos CD's e mais dois pendrives para análise. O homem foi preso e encaminhado para a Delegacia de Polícia Civil de Dourados.

 

Fiança

A fiança foi arbitrada em R$ 2 mil, mas acabou sendo reduzida pela metade, mas ainda não foi paga, segundo informações do “Dourados News”.

 

Ele nega o crime, porém, acabou autuado dentro do artigo 241-B do ECA (Estatuto da Criança e do Adolescente) que versa sobre o crime de “adquirir, possuir ou armazenar, por qualquer meio, fotografia, vídeo ou outra forma de registro que contenha cena de sexo explícito ou pornográfica envolvendo criança ou adolescente”. 

 

De acordo com a polícia, aparentemente não há indícios de que a foto foi compartilhada. Se for condenado, a pena para esse crime é de um a quatro anos de prisão, além de multa. 






VEJA MAIS