• Paraíso17

Delegado de Polícia que virou fenômeno na rede social afirma que o ''vitimismo'' é uma desculpa

Da Redação / Imagens: Divulgação/MF Press Global
14/03/2019 12h00

Thiago Garcia é delegado da Polícia Civil de São Paulo, professor, palestrante, escritor e influenciador digital, já que tem somados em suas redes sociais mais de meio milhão de seguidores. Ele é o mais seguido do Brasil na sua área. Conhecido pelo slogan ‘passando o trator’, o delegado tornou-se referência em concursos públicos e palestras motivacionais. 

 

O delegado revela de onde veio o seu slogan: “isto surgiu porque tive que superar dificuldades que pareciam ser insuperáveis. Tive que ‘passar o trator’ nos obstáculos, passar por cima de tudo para realizar meus sonhos. Por isso que falo para meus alunos, ‘bora passar o trator’. Fazer as coisas com energia e fazer valer a pena, sem mi mi mi”. 

 

Conhecido também por sua atuação exemplar como delegado, Thiago Garcia aponta que existe uma parcela da sociedade que trata o delinquente como ‘vítima da sociedade’ e procura justificar a prática de crimes pela falta de recursos financeiros. O delegado tem uma opinião clara sobre o tema e relata um pouco de sua própria história de vida para usá-la como argumento para combater o que chama de ‘vitimismo’: “No Brasil hoje existe uma onda de vitimismo, de pessoas preguiçosas que buscam argumentos e desculpas para justificar seus fracassos. A pobreza é um problema social que não pode servir para justificar a prática de crimes. Essa visão é preconceituosa porque pressupõe e transmite a sensação que todo pobre é um delinquente em potencial, e sabemos que milhões de pessoas pobres são honestas. Se a pobreza fosse a grande causa da criminalidade não haveria os crimes de colarinho branco, praticados por alguns políticos e empresários, que enriquecem por meio da corrupção”. 

 

Thiago impressiona pelo seu currículo: com apenas 25 anos de idade, passou no concurso para delegado na primeira tentativa e tornou-se um dos mais jovens aprovados da instituição. Além disso, foi aprovado em diversos outros concursos como Ministério Público Federal, Tribunal Regional Federal (TRF1) e no exame da OAB. Ele se tornou uma referência também devido aos cursos preparatórios que promove e seu histórico bem sucedido em aprovações: “Nada na minha vida foi fácil. Meu pai faleceu quando eu tinha apenas 7 anos de idade e quase passamos fome. Precisei amadurecer muito rápido e assumir o papel de homem da casa. Passei a ser vítima de “bullying” na época por causa da minha atitude. Os colegas da escola não entendiam o motivo que fazia eu estudar tanto.  Sofri agressões verbais e físicas. Depois meus avós, que moravam com a gente, ficaram doentes e eu precisei ajudá-los. Na minha época de faculdade, além de passar boa parte do tempo estudando em hospitais enquanto os acompanhava, eu trabalhava como ambulante durante o dia. Eu estudei sozinho para os concursos, não tinha condições de pagar cursinho. E mesmo com todas as dificuldades venci. Eu poderia me queixar, vitimizar, mas escolhi o caminho do trabalho e da dedicação”. 

Delegado Thiago Garcia no lançamento do seu livro - Foto: Reprodução

Sobre seu sucesso nas redes sociais, Thiago Garcia revela os ‘segredos’ por trás de sua popularidade: “As pessoas que me seguem o fazem porque se interessam de verdade pelo meu conteúdo, o que explica o tamanho engajamento. O trabalho nas redes gerou repercussão porque há uns 6 anos ninguém fazia o que faço. Nunca comprei seguidores e cresci em relevância na rede social de forma orgânica, porque há seis anos atrás fui um dos pioneiros em dar dicas de estudos gratuitas na internet (escritas, por vídeo, por live), e isto ajuda pessoas que não têm condições de pagar cursos preparatórios. Até hoje faço sorteios de livros para ajudar as pessoas. Uso minhas redes sociais também para transmitir mensagens de motivação e fé, o que pra mim é o mais importante, pois sem força de vontade não adianta, a pessoa não consegue nem abrir o livro. Ou seja, o trabalho da mente e do espírito antecede o trabalho intelectual. Sempre recebo mensagens de pessoas dizendo que conseguiram ser aprovadas com a ajuda das minhas dicas”. 

 

O delegado mostra-se muito contente com o feedback recebido de seus seguidores e em saber que tem feito a diferença na vida de milhares de pessoas: “o bacana é que a maioria do meu público é da área jurídica, concurseiros e profissionais do direito, mas isso não torna minhas mensagens exclusivas para esse público. Existe uma diversidade. Jovens, idosos e pessoas de tantas outras áreas profissionais me seguem, e eu recebo um retorno de muitos seguidores, que me relatam o impacto das coisas que eu posto ou das palestras em suas vidas. O fato é que as mensagens de motivação atingem todos os públicos, e isso me alegra, poder fazer a diferença na vida das pessoas”. 

 

Outro motivo apontado pelo delegado para ter alcançado relevância e credibilidade como influenciador digital é que as dicas vêm como reflexo de sua própria história de vida: “Há muitas pessoas por aí que dão dicas, como coach motivacional e afins, mas alguns têm este conhecimento de ouvir falar e porque aprenderam de alguém, não necessariamente viveram isto. No meu caso, eu vivi tudo que passo para meus alunos e seguidores. Sou uma prova viva de superação e força de vontade. Costumo dizer que meu trabalho contribui para a concretização de sonhos”.






VEJA MAIS