• Paraíso17

''Vereador do Celular'', Cabo Máximo também é um dos campeões de diárias em Batayporã

Parlamentar também está entre os vereadores que entrou com ação na Justiça Gratuita visando receber 13º e férias em decorrência do exercício do mandato
Da Redação / Imagens: Arquivo/CMB/Divulgação
14/03/2019 14h30
Vereador Cabo Máximo (MDB) / Imagens: Arquivo/CMB/Divulgação

Destaque nesta semana após se exaltar ao ter sua atenção chamada para “sair um pouco do celular”, o vereador Cabo Máximo (MDB), líder do prefeito Jorge Takahashi (MDB) na Câmara de Batayporã, também é um dos campeões em gastos com diárias na Casa de Leis. 

 

Leia também

|Em Batayporã, vereador pede para líder do prefeito ''sair do celular'' e ''prestar atenção''

|Vereadores de Batayporã apelam à gratuidade da Justiça em ação para receber 13º e férias

 

No top 5 dos parlamentares que mais solicitaram o recurso desde 2017, o emedebista ocupa a quarta colocação, com pouco mais de R$ 71 mil desembolsados pelo Legislativo para arcar com as despesas do vereador em agendas fora de Batayporã.

 

O primeiro colocado é o vereador Nivaldo Brejo (PSDB), que de janeiro de 2017 até 14 de março de 2019 já gastou R$ 77.670 em diárias, seguido pelo presidente Cícero Leite (PSDB), com R$ 77.617 e pelo vereador Danilo Enz (PSDB), em terceiro, com R$ 71.007.

 

Logo em seguida vem Cabo Máximo, sendo a lista completada por Samuel (PSB), com R$ 67.375, Cacildo Paião (PSDB), com R$ 65.700, Maurício Ribeiro (MDB), com R$ 50.215, e Germino (PR), com R$ 27.430. Denise Pesqueira (PDT) não solicitou o pagamento de diárias.

 

Inclusive, a maioria dos vereadores que mais gastaram com o recurso no período, incluindo Cabo Máximo, também integra o grupo de parlamentares que ingressou recentemente com ação na Justiça para receber 13º e férias em decorrência do exercício do mandato. 

 

Além do líder do prefeito estão os vereadores Maurício, Danilo Enz, Nivado Brejo e o presidente Cícero Leite. Na petição, os parlamentares apelaram à gratuidade da Justiça, pois “não possuem renda e condições de arcar com as custas e demais despesas processuais”. 






VEJA MAIS