• Paraíso17

Em Nova Andradina, mulher assume boca de fumo do marido preso, mas casa cai com chegada da SIG

Além da suspeita, um homem e outra jovem acabaram presas
Da Redação / Imagens: PC-MS/Divulgação
14/05/2019 21h10

Thiago Esteca dos Santos de 27 anos, Daiane Fernanda Gondim Flores de 19 anos e Samara Gomes Pimenta de 28 anos, foram presos por policiais da SIG (Seção de Investigações Gerais) da 1ª Delegacia de Polícia Civil de Nova Andradina. Ação policial aconteceu no final da manhã desta terça-feira (14), no bairro Argemiro Ortega.

 

Conforme informações policiais, Samara já era investigada desde a prisão de seu marido Guilherme Eugênio da Silva Machado de 20 anos, conhecido como “Broca”, ocorrida no dia 27 de março passado. Ela teria assumido os “negócios” da família, ou seja, o “comércio” relacionado ao tráfico de drogas do casal, mudando apenas de residência para ludibriar as forças policiais. No entanto, a Polícia Civil descobriu seu novo “ponto” de vendas de drogas e passou a monitorar o local, visualizando um entra e sai de usuários.

 

Diante dos dados, a autoridade policial representou junto ao Poder Judiciário pela expedição de mandado de busca e apreensão no novo endereço de Samara, imóvel localizado a rua Pedro Rodrigues de Souza, bairro Argemiro Ortega, o que foi deferido e cumprido nesta terça-feira.

 

“No momento em que fomos cumprir o mandado, encontramos Thiago, Daiane e Samara dentro de um dos quartos da residência falando ao telefone no viva voz, dando a entender que participavam de uma conferência”, disse o Delegado Rafael de Souza Carvalho, chefe da SIG de Nova Andradina.

 

No quarto de Samara, entre suas roupas pessoais, foram encontradas 12 trouxinhas de maconha e 19 paradinhas de crack. No quintal os investigadores localizaram enterradas mais 100 trouxinhas de maconha e 59 paradinhas crack. No bolso de trás do short de Daiane também foram localizadas mais quatro porções de maconha.

 

Aos policiais Samara disse que a maconha era sua, mas que não iria assumir o que não era dela. Thiago assumiu ser proprietário de todo o crack encontrado na residência da investigada.

 

No interior do imóvel ainda foram apreendidos seis rolos de papel filme, que normalmente é utilizado para embalar droga, três potes de fermento da marca Royal lacrados contendo o produto, comumente utilizado para misturar com crack e cocaína para fazer maior quantidade de droga, um caderno com anotações de comercialização de tráfico de drogas, R$ 48 em notas miúdas, um par de tênis da marca Nike, um frasco da marca Toddy com odor da substância crack em seu interior, quatro aparelhos celulares, um aparelho de som e no quintal cinco bicicletas de origem suspeita.

 

O trio foi encaminhado à Delegacia de Polícia Civil, onde foi autuado em flagrante por tráfico de drogas e associação para o tráfico. Posteriormente Thiago será encaminhado ao EPMRF (Estabelecimento Penal Masculino Regime Fechado) local e as mulheres para a Delegacia de Batayporã, para aguardarem a audiência de custódia e posterior deliberação do Poder Judiciário.






VEJA MAIS