• Paraíso17

Com 40% do orçamento bloqueado, IFMS inclui campus de Nova Andradina em estudo de gestão

Estratégia busca a liberação de recursos no segundo semestre de 2019 para investimentos em oito unidades, incluindo a de Nova Andradina
Da Redação / Imagens: Jornal da Nova
11/07/2019 11h00
Campus do IFMS de Nova Andradina / Imagens: Jornal da Nova

Em uma ação de gestão e planejamento que busca projetar os impactos do bloqueio de crédito orçamentário até o final de 2019, o Instituto Federal de Mato Grosso do Sul (IFMS) apresentou à Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica do Ministério da Educação (Setec/MEC) um estudo de gestão orçamentária para o segundo semestre.

 

O estudo de gestão orçamentária prevê que, mensalmente, o IFMS necessita de R$ 2,3 milhões para manutenção das atividades de ensino, pesquisa, extensão e administração em Aquidauana, Campo Grande, Corumbá, Coxim, Dourados, Jardim, Naviraí, Nova Andradina, Ponta Porã e Três Lagoas.

 

A estratégia foi necessária após o bloqueio de crédito orçamentário anunciado pelo Governo Federal em abril. Dos R$ 40 milhões previstos na Lei Orçamentária Anual (LOA) para o IFMS em 2019, quase R$ 17 milhões estão bloqueados, o que representa mais de 40% do orçamento discricionário da instituição.

 

A retomada da construção do Campus Naviraí, único da instituição em sede provisória, é uma das prioridades. Também estão na lista a ampliação do número de salas de aula e laboratórios nos campi Campo Grande, Dourados, Jardim e Nova Andradina, além do refeitório na capital e da adequação de todas as unidades para atendimento às normas de acessibilidade.

 

Atualmente, oito unidades do IFMS possuem ao menos uma obra em andamento, com investimento total de cerca de R$ 7,2 milhões em infraestrutura física e outros R$ 2 milhões em energias renováveis por meio da construção de usinas solares.

 

Além da cobertura das quadras poliesportivas em Aquidauana e Dourados, estão sendo instalados laboratórios em Nova Andradina e construído um barracão agrícola em Ponta Porã. Também está em execução a instalação de 16 salas modulares, sendo dez para abrigar IFMaker (Laboratórios de Inovação) nos campi, e outras seis para salas de aulas em Campo Grande (3), Dourados (2) e Jardim (1).

 

Ainda no segundo semestre, a previsão é que sejam finalizadas as instalações de usinas de energia solar nos campi Aquidauana, Corumbá, Coxim, Dourados, Jardim, Nova Andradina e Ponta Porã. A tecnologia já é adotada nas unidades do IFMS em Campo Grande e Três Lagoas.

 

Entre os recursos pleiteados para o segundo semestre deste ano, R$ 1,2 milhão são para Nova Andradina, visando a reforma de casas para instalação de laboratórios.






VEJA MAIS