• Paraíso17

Com apoio do IST Alimentos e Bebidas, indústria de MS inicia produção de caldo de cana envasado

Fiems / Imagens: Divulgação
03/09/2019 13h00

Em Mato Grosso do Sul e em boa parte do território brasileiro não existe programa melhor do que comer pastel e tomar caldo de cana. Pelo menos na região sul do Estado, desde o início de agosto, isso ficou ainda mais fácil. Isso porque a empresa Tropicana, localizada no município de Ivinhema, iniciou, com auxílio do IST Alimentos e Bebidas (Instituto Senai de Tecnologia em Alimentos e Bebidas), que fica em Dourados, a produção de um caldo de cana envasado e que pode ser comercializado nos supermercados.

 

O supervisor de consultoria do IST Alimentos e Bebidas, Lucas Alves Gomes, contou que a empresa entrou em contato assim que teve a ideia de desenvolver o produto. “A parceria entre o Senai e a Tropicana surgiu no início de 2018, quando iniciamos o desenvolvimento do caldo de cana. O projeto teve duração de aproximadamente um ano e meio e nesse período foram feitas várias pesquisas e testes com o objetivo de obter um caldo de cana que mantivesse as suas características de sabor e pudesse ter um prazo de validade maior sem adição de conservantes”, explicou.

 

Com o mesmo nome da empresa, Tropicana, o caldo de cana é pasteurizado por meio de um processo moderno, que elimina os microrganismos e garante a qualidade do produto, sem nenhuma alteração no sabor ou no aroma por 30 dias. “Foram vários testes para que se chegasse ao produto final. Vale ressaltar que a empresa contratou todas as nossas linhas de serviço, que começou com o desenvolvimento do produto, depois foi uma consultoria para elaboração de um programa de autocontrole e boas práticas para conseguir o registro junto ao Mapa (Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento)”, comentou o supervisor de consultoria do IST Alimentos e Bebidas.

Além disso, o LabSenai Alimentos, laboratório que integra o complexo do IST Alimentos e Bebidas, foi contratado para análise de água da empresa, além de realizar as análises físico-químicas e microbiológicas do caldo de cana. “Ou seja, o projeto utilizou as três vertentes do Instituto, que são inovação, consultoria e metrologia. Depois de tudo pronto, o projeto ainda recebeu auxílio do Senai Empresa para a identidade visual”, completou Lucas Alves Gomes.

 

Os empresários Angelo Trevisam, Pedro Trevisam e Djalma Trevisam contam que a ideia de produzir caldo de cana surgiu a partir da vontade de ter o alimento à disposição em qualquer horário e qualquer dia, sem precisar esperar a feira do bairro ou procurar um vendedor ambulante. “E aí começamos a ver muitos produtos no mercado, como água de coco e sucos naturais com uma produção com alta tecnologia e resolvemos procurar o Senai, que é uma instituição referência em inovação, para nos ajudar na elaboração desse produto”, afirmaram.

Na avaliação dos empresários, sem o apoio do Senai o processo todo teria sido mais demorado e mais difícil. “Para nós, todo o auxílio da equipe do IST Alimentos e Bebidas e do próprio Senai Empresa foi fundamental, principalmente porque eu sou um grande apreciador de caldo de cana e queria que chegássemos a um produto idêntico ao natural, mas com prazo de validade maior. Para isso, não poderíamos utilizar conservantes, que alterariam o sabor”, destacam.

 

A produção do Tropicana começou no início de agosto e os produtos, fabricados na versão tradicional, sabor abacaxi e sabor limão e envasados em copos de 300 ml, podem ser encontrados nos municípios de Ivinhema, Fátima do Sul, Jateí, Vicentina, Novo Horizonte, Deodápolis, Glória de Dourados, Angélica e de Naviraí a Mundo Novo. “Queremos em breve estar em todo o Estado, levando o sabor do caldo de cana fresco a todo mundo que gosta do produto”, finaliza.



Comunicar erro




VEJA MAIS