• Paraíso17

Desamor

Felipe Pereira / Imagens: Divulgação
30/11/2019 17h00

A mulher estava em seu leito, sua cabeça doía, sua alma era somente frangalho; ela estava fragmentada, tivera uma imensa perda, perdera sua paixão. Sua tristeza jorrava como uma forte correnteza, arrastando para longe toda a alegria remanescente. Sua única pontada de esperança era seu filho; só de pensar nele seus olhos lacrimejaram, um menino doce e inocente, que não conhecia o sofrimento.


Mãe, o que a senhora tem? – Perguntou a criança, ingenuamente.
- Nada não, meu filho. Só uma dorzinha de cabeça, logo passa, – tranquilizou-o.
- Posso fazer alguma coisa pela senhora? – Perguntou, prestativo.
- Traz um copo com água.
- Se eu trazer a senhora vai melhorar? – Indagou, esperançoso.
- Sim, irei.

 

O menino saiu do quarto e foi até a cozinha buscar o prometido. Pobre garoto, era alheio às infelicidades do amor e ao quanto ele podia ser destrutivo. Mal sabia ele, que da mesma maneira que sua mãe, um dia também necessitará de um copo com água. Quem sabe assim conseguirá amenizar a dor de um coração partido.



Comunicar erro




VEJA MAIS