Estoque de machos para 2013 em MS deve manter mercado estável

Redação


O volume de animais machos disponíveis para abate em 2013 deve manter o mercado da pecuária equilibrado em Mato Grosso do Sul. Mesmo com queda de 15,5% no estoque nos últimos três anos, a perspectiva é de estabilidade de preços, que podem variar apenas em função da demanda de mercado interno e externo. De 3,8 milhões de machos abatidos em 2009, o Estado deve chegar a 3,1 milhões de cabeças prontas para o abate em 2013.

Os dados fazem parte de estudo elaborado pela Federação de Agricultura e Pecuária de MS (Famasul) que aponta o uso de tecnologia na pecuária como garantia de resultados expressivos. O abate dos animais na faixa etária entre 24 a 36 meses teve crescimento de 12% nesse semestre, atingindo 463,2 mil machos enquanto o primeiro semestre de 2011 registrou abate de 416 mil. Em relação aos animais machos acima de 36 meses houve redução de 4%, de 599,7 mil cabeças de janeiro a junho de 2011 para 575,2 mil cabeças no mesmo período de 2012. “O Estado está abatendo mais precocemente seus animais e Isso mostra que estamos avançando em produtividade”, analisa a economista.

Em relação a mercado, a boa oferta de machos isoladamente não garante altos preços para o setor. “O que vai impactar nos preços é a demanda. É o mercado interno e externo que vai determinar a rentabilidade da pecuária”, diz Adriana Mascarenhas, economista e assessora técnica da Federação de Agricultura e Pecuária de MS (Famasul). O estudo elaborado pela instituição traz perspectivas a curto prazo. “Nosso objetivo é mostrar o cenário para que produtores, governos e empresários possam antecipar o planejamento de sua gestão”, afirma Adriana.

A metodologia utilizada no estudo feito em Mato Grosso do Sul é baseado no modelo desenvolvido pelo Instituto Mato-Grossense de Economia Agropecuária (IMEA). O estudo está disponível para consulta e download no site da Famasul pelo endereço eletrônico http://famasul.com.br/downloads/a59/arquivo.pdf

As informações são da Famasul
 

Cobertura do Jornal da Nova

Quer ficar por dentro das principais notícias de Nova Andradina, região do Brasil e do mundo? Siga o Jornal da Nova nas redes sociais. Estamos no Twitter, no Facebook, no Instagram e no YouTube. Acompanhe!