PM realiza operação, cumpre mandados, apreende armas e entorpecente

Assessoria


A Polícia Militar de Mato Grosso do Sul, em uma ação deflagrada na manhã de hoje (17), cumpriu uma série de mandados expedidos pela 2ª Vara de Execuções Penais da Comarca de Campo Grande.  Os objetivos foram prender pessoas em débito com a justiça e que estavam escondidas na região do bairro Pró Morar, fazer buscas em locais de possível ação criminosa e apreender veículos e outros instrumentos usados no tráfico de drogas.

Participaram da Operação Pacificação Pró Morar: a Agência Central de Inteligência (ACI/PMMS);  1°, 9° e 10° BPM; Companhia Independente de Polícia Militar de Trânsito (Ciptran); Companhia Independente de Gerenciamento de Crises e Operações Especiais (Cigcoe) e Núcleo de Inteligência do Gaeco.

O bairro devido à localização e características dos imóveis era considerado um ambiente favorável às atividades criminosas e ao esconderijo de marginais. O Pró Morar fica entre os bairros Taquarussu, Jockey Clube, Piratininga, Nhá-Nhá e Jacy e abriga cerca de cinco mil moradores. As ruas são estreitas e com muitas curvas, há casas coladas umas nas outras e diversos terrenos baldios com entulho.

Denúncias, registro de ocorrências e levantamentos feitos pela ACI/PMMS comprovaram que criminosos estavam fazendo do Pró-Morar um posto de distribuição de entorpecentes. De lá saiam as drogas que abasteciam vários pontos de venda da Capital. Ainda era no bairro que marginais se escondiam da polícia.

Nesta quarta-feira, os policiais militares deflagraram a terceira e quarta fase da operação no bairro e conseguiram prender quatro pessoas, sendo duas em razão de mandado e duas em flagrante por tráfico de drogas.  Ainda apreenderam, nas casas revistadas, cerca de 520g de cocaína, 600g de maconha, porções de pasta-base, revólver calibre 38, pistola 380, um simulacro de pistola, R$ 465,00 em cédulas e R$ 17,60 em moedas. Na fiscalização de trânsito, os PMs removeram duas motos e lavraram 15 autos de infração. A primeira e segunda fase começaram há aproximadamente 30 dias quando os policiais militares levantaram informações e realizaram trabalho de inteligência na região.

 

"A operação foi apenas um passo para reduzir a criminalidade e dar mais tranquilidade para os moradores do Pró Morar e região. Depois da saturação feita nesta quarta-feira, duas bases comunitárias móveis permanecerão na área durante duas semanas. Após esse período, uma das bases ficará fixa para atender a população e realizar o policiamento comunitário", disse o Cel. David.

 

 

Cobertura do Jornal da Nova

Quer ficar por dentro das principais notícias de Nova Andradina, região do Brasil e do mundo? Siga o Jornal da Nova nas redes sociais. Estamos no Twitter, no Facebook, no Instagram e no YouTube. Acompanhe!