Sinpol cobra solução do MJ para a situação carcerária em MS

Redação


O vice-presidente do SINPOL/MS (Sindicato dos Policiais Civis de Mato Grosso do Sul), Roberto Simião de Souza, se reuniu com a Secretária Nacional de Segurança Pública, Regina Miki, em Brasília, para tratar da situação carcerária encontrada das delegacias de Mato Grosso do Sul. Durante o encontro, Roberto apresentou um dossiê com o caminho percorrido pela diretoria do sindicato para resolver esta questão.

Simião explicou que desde 2007, o SINPOL vem enfrentando intensa luta para retirar todos os presos das delegacias do estado, haja vista que a situação afronta a legislação. De acordo com o vice-presidente, embora já tenham solicitado providências em diversos órgãos competentes, inclusive diretamente aos governos Estadual e Federal, nenhuma providência foi tomada.“Desde que iniciamos esta luta, a situação só vem se agravando. Temos cerca de 950 presos entre provisórios e condenados nas delegacias do estado, quando não deveria abrigar nenhum, pois as delegacias não possuem estrutura mínima para abrigar detentos”, declarou.

A secretária, Regina Miki recebeu os documentos levantados pelo sindicato e solicitou a presença do Dr. Luiz Fabrício Vieira Neto, diretor de Políticas Penitenciárias do Ministério da Justiça, que por sua vez, disse que o governo federal tem um projeto para a liberação de verbas para a criação de mais vagas em cadeias públicas de todo o Brasil.

A posição do SINPOL/MS é inicialmente esgotar todas as esferas dentro do nosso país, para posteriormente levar ao conhecimento de organismos internacionais a situação caótica que se encontra o sistema carcerário nacional, pelas graves violações de Direitos Humanos que o sistema prisional oferta, referindo-se em especial à Organização das Nações Unidas (ONU).

Regina Miki disse que a ONU já tem conhecimento da situação carcerária do país, contudo fora advertida que mesmo assim, o SINPOL/MS, pretende ratificar a denúncia àquele órgão internacional.

A secretária determinou ao Diretor de Políticas Penitenciárias, que elabore um relatório completo sobre a situação carcerária do Estado de Mato Grosso do Sul, para juntamente com o relatório do SINPOL serem apresentados ao Ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo.

Outro posicionamento do SINPOL foi protocolizar junto à Procuradoria Geral da União (PGR), pedido de providência para que aquele órgão ministerial investigue os constantes contingenciamentos de verbas do FUNPEN - Fundo Penitenciário Nacional.

Segundo informes, a PGR tem constantemente solicitado ao Ministério da Justiça explicações sobre o déficit carcerário no país, sendo respondido àquele órgão que os governos estaduais não apresentam projetos para construção de novos presídios e cadeias públicas, porém, o próprio Ministério tem mudado frequentemente as regras para construção, reforma e ampliação de cadeias públicas e presídios.

Assessoria
 

Cobertura do Jornal da Nova

Quer ficar por dentro das principais notícias de Nova Andradina, região do Brasil e do mundo? Siga o Jornal da Nova nas redes sociais. Estamos no Twitter, no Facebook, no Instagram e no YouTube. Acompanhe!