Facção investigada em atentados à policiais

Diário de SP


Integrantes da facção criminosa PCC (Primeiro Comando da Capital) estão sendo investigados em três atentados contra quatro policiais militares em pontos diferentes de São Paulo, na noite de sexta-feira, em um intervalo de menos de três horas. Os crimes deixaram dois PMs e dois criminosos mortos. Um soldado foi baleado no pescoço e um policial civil foi atingido nas costas por dois tiros.

Apenas neste ano, 75 policiais militares foram executados no estado. A maioria (72 ) estava de folga. No mesmo período, 16 agentes penitenciários e três policiais civis, dois deles delegados, tambem foram mortos.

Segundo o deputado estadual major Olímpio Gomes (PDT), um criminoso ligado à facção, conhecido por Piauí, foi preso recentemente em outro estado e confidenciou que a ordem do PCC é, enquanto houver ações da polícia contra o crime organizado, quem paga a conta são os “coitadinhos” do 190, em referência aos policiais militares.

A sequência de atentados começou às 18h, na Rua Belford Duarte, Vila Santa Catarina, Zona Sul. O cabo Antônio José de Farias, de 47 anos, seu filho e um outro soldado conversavam na calçada quando ocupantes de um Renault e uma moto atiraram várias vezes contra eles. Os PMs reagiram e atingiram o garupa, que morreu no local. Antônio ainda foi levado ao PS do Jabaquara, mas não resistiu. O filho dele foi ferido por estilhaços de bala no rosto e o soldado levou um tiro no pescoço.

“DESCE, PLAYBOY” - Às 19h30, outro PM à paisana foi atacado na Avenida 23 de Maio, na região central. Ele estava em seu carro, parado no trânsito, quando o suspeito, identificado como Paulo Cezar Joaquim da Silva, de 21 anos, mostrou uma pistola na cintura e disse: “Desce, playboy, vai morrer”. O PM reagiu e o matou. A arma de Paulo era de brinquedo.

Às 20h20, dois desconhecidos executaram o soldado Laércio Ferreira Borges, de 42 anos, em um bar da Rua Matilde Nassar Cury, Balneário de São José, Zona Sul. O policial, que também estava à paisana, havia acabado de deixar o trabalho.

Às 22h20, um policial civil de 47 anos levou dois tiros nas costas na Rua Parapuã, Freguesia do Ó, Zona Norte. Os criminosos, que ocupavam uma moto roubada, levaram a pistola 45 e o revólver 38 do policial
 

Cobertura do Jornal da Nova

Quer ficar por dentro das principais notícias de Nova Andradina, região do Brasil e do mundo? Siga o Jornal da Nova nas redes sociais. Estamos no Twitter, no Facebook, no Instagram e no YouTube. Acompanhe!