Torcida pressiona e teme manobra contra eleição direta no Palmeiras

Redação


Os conselheiros que votarão na noite desta segunda feira (01) se aprovam a adoção de eleições diretas no Palmeiras sentiram a pressão para a mudança estatutária. Cerca de 350 torcedores se manifestaram em frente à Academia de Futebol com xingamentos, gritos, faixas e cartazes cobrando a alteração e temem uma manobra que adie a definição.

As pessoas que estão diante do centro de treinamento do time, local da votação, são ligadas à Mancha Alviverde, principal torcida organizada do clube, e o temor pelo adiamento da votação existe. “Esperamos que as eleições diretas sejam aprovadas, mas ouvimos falar que há um movimento para que não tenha um quorum mínimo e a votação seja adiada”, disse Rafael Scarlati, vice-presidente da organizada.

O conselheiro que foi ao local encontrou um ambiente de forte pressão para a mudança no formato das eleições do clube. Há uma grade afastando os manifestantes do portão de entrada da Academia, mas cada carro que passa é recebido com xingamentos - e a manifestação deveria se estender até as 21h30, pelo menos.

Os cânticos principais são de “Olê, olê, olé, olá, diretas já” e, entre palavrões, “diretoria, o meu Palmeiras não precisa de você”. Há torcedores com os rostos pintados de verde e faixas e cartazes com inscrições, como “SEP é de 18 milhões, não de 300 ladrões”, “Nós somos o Palmeiras”, “Conselho corrupto”, “Tirone banana”, “Frizzo ladrão”, “Frizzo safado” e “Fora Tirone”.

Durante a manifestação, o clima chegou a ficar tenso com os policiais, presentes em bom número com carros e motos. As autoridades tiveram que aumentar o tom de voz para exigir que os torcedores se restringissem a ficar só em uma faixa da avenida Marquês de São Vicente, ordem que chegou a ser desobedecida em alguns momentos.

A pressão pela adoção de eleições diretas já ocorreu durante a tarde até com carta aberta do ministro do Esporte, Aldo Rebelo. De qualquer forma, ainda não será nesta segunda-feira que a alteração passará a valer. Caso ocorra aprovação do Conselho Deliberativo, o formato será votado pela Assembleia de Sócios em reunião que deve acontecer em novembro. O aval dos conselheiros, porém, é decisivo, já que os sócios dificilmente se recusarão a ter seu voto válido na escolha dos presidentes do clube.

Mesmo com a aprovação das eleições diretas, o formato não será usado no próximo pleito, marcado para janeiro de 2013. Por um acordo com o presidente do Conselho Deliberativo, José Ângelo Vergamini, as diretas só poderão ser utilizadas a partir de 2014 - ano do centenário palmeirense, que não deve ter eleições, já que os mandatos são de dois anos.

Gazeta Esportiva

Cobertura do Jornal da Nova

Quer ficar por dentro das principais notícias de Nova Andradina, região do Brasil e do mundo? Siga o Jornal da Nova nas redes sociais. Estamos no Twitter, no Facebook, no Instagram e no YouTube. Acompanhe!