'Operação Armani' desarticula quadrilha especializada em contrabando

Redação


A Polícia Federal – PF deflagrou na manhã desta quarta feira (10), a “Operação Armani”, que visou a desarticular quadrilha especializada na prática do crime de contrabando e descaminho. Foram cumpridos doze mandados de busca e apreensão e efetuadas seis prisões preventivas nas cidades gaúchas de Santa Vitória do Palmar, Chuí, Pelotas, Novo Hamburgo e Porto Alegre, todas cidades do Estado de Rio Grande do Sul.

Um investigado que estava com mandado de prisão preventiva decretada, possuía em sua residência em Pelotas Cocaína, Crack e uma pistola 7,65mm, sendo autuado em flagrante por tráfico de drogas e posse de arma de fogo de uso permitido. No Chuí, houve ainda a apreensão de aproximadamente R$10 mil em moeda estrangeira na casa de um dos presos. Equipes policiais ainda encontram-se no cumprimento das demais medidas judiciais.

As investigações duraram cerca de dez meses e já havia resultado em outras prisões, revelando que diversas mercadorias importadas do exterior, como perfumes, cosméticos e bebidas, eram introduzidas clandestinamente no Brasil sob várias formas, inclusive por estradas vicinais. Os produtos eram transportados até Pelotas, de onde seguiam em ônibus de excursão até São Paulo/SP.

Estima-se que o valor das mercadorias apreendidas, incluindo impostos que eram sonegados, ultrapassaram R$ 1 milhão. Na deflagração foram apreendidos veículos, equipamentos de informática e, mediante ordem judicial, foram efetivados sequestro de bens do patrimônio dos investigados.

A atuação da quadrilha reedita esquema já investigado pela Polícia Federal na fronteira do Brasil com o Uruguai, no qual os criminosos se aproveitam do regime tributário diferenciado a que se submetem os free shops e a extensão de fronteira seca existente entre os dois países para importar clandestinamente produtos de alto valor agregado.


PF
 

Cobertura do Jornal da Nova

Quer ficar por dentro das principais notícias de Nova Andradina, região do Brasil e do mundo? Siga o Jornal da Nova nas redes sociais. Estamos no Twitter, no Facebook, no Instagram e no YouTube. Acompanhe!