Preso e com perfil discreto no Facebook, traficante faz ameaça velada à namorada

Redação


Conforme o Midiamax mostra detentos do Presídio de Segurança Máxima, em Campo Grande, que possuem comunicação extramuro, outros aparecem. Claresvaldo Lemes Ferreira, 26 anos, vulgo ‘kaka’, é mais discreto no Facebook, não aparentando estar recluso.

Porém, analisando suas fotos, comentários de amigos e até uma ameaça velada que ele faz à namorada, com um ‘eu te amo’ escrito com munições de arma de fogo e ‘se você me trair são todas só pra você, dá para conhecer um pouco do seu perfil ameaçador.

Sua última atualização foi no dia 2 de novembro, via celular, o que contradiz com a declaração de que estaria bloqueado o sinal telefônico ao redor do presídio no bairro Jardim Noroeste, em Campo Grande.

Claresvaldo já foi preso por em flagrante por uso de documento falso e tráfico de drogas. Ele ficou preso até fevereiro de 2011, voltando em agosto do mesmo ano, por conta de um roubo qualificado pelo concurso de pessoas. E desde 6 de setembro, assim que o mandado de prisão em seu desfavor, ele está na Máxima.

>>Leia também
Da Máxima, preso por homicídio entra no Facebook e faz comentários de festa na cela
Indivíduo preso que ameaçava PM de morte pelo facebook
Delegado suspende visitas em cadeia do PR depois de preso postar fotos no Facebook

Há quatro dias, foi apresentado o detento Carlos Alexandre Matias Alves, 29 anos, vulgo ‘riskado’ ou ‘veneno’. Este, sem medo algum, faz menção a uma facção criminosa em seus comentários, fala de festas na cela e dá a entender que está apenas passando por um período de férias.

Falta grave

Inúmeros casos de detentos que utilizam o celular já foram divulgados pelo Midiamax. Segundo a assessoria de comunicação da Polícia Civil, é considerada falta grave ao detento, que pode responder por um procedimento disciplinar e até ser isolado.

Porém, mais grave ainda, são os detentos que na ociosidade planejam golpes e também fazem encomendas de caminhonetes, que em muitos casos são levadas para as fronteiras e trocadas por drogas. Com a ajuda do celular, eles entram em contato comparsas soltos e movimentam ainda mais o mundo do crime. É uma contradição com o que foi divulgado recentemente sobre o bloqueio do sinal telefônico ao redor do presídio.

Questionada, a assessoria de comunicação da Sejusp/MS (Secretaria de Justiça e Segurança Pública de Mato Grosso do Sul) disse que irá averiguar ambos os casos divulgados recentemente pelo Midiamax e a posição do titular da secretaria.

Midiamax

Cobertura do Jornal da Nova

Quer ficar por dentro das principais notícias de Nova Andradina, região do Brasil e do mundo? Siga o Jornal da Nova nas redes sociais. Estamos no Twitter, no Facebook, no Instagram e no YouTube. Acompanhe!