''Queria fazer curso de História no Paraguai'', diz Maníaco da Cruz

Da Redação


Durante sua captura no último dia (27), o jovem Dhionatan Celestrino de 21 anos, conhecido nacionalmente como “Maníaco da Cruz”, tinha vontade de fazer faculdade de História, era o desejo dele em recomeçar a vida no Paraguai.

Ainda segundo Dhionathan, ele estava trabalhando em um lava-rápido, onde recebia aproximadamente R$200 reais por mês, dinheiro suficiente para pagar a moradia, alimentação e aula de espanhol que pretendia fazer.

Durante entrevista à “TV Morena”, de dentro do 2º Distrito Policial de Ponta Porã, Dhionathan disse que está arrependido dos crimes cometidos em Rio Brilhante, em 2008, e esperava recomeçar a vida no país vizinho.

Ainda no país vizinho, o “Amambay Notícias”, site paraguaio divulgou um vídeo onde Dhionathan ele disse que cometeu os crimes em Rio Brilhante por dinheiro, “eu mata para uma pessoa amiga e recebia dinheiro, deixava os corpos em forma de cruz para parecer que era um serial killer, sei que em Campo Grande irão me apertar para dizer para quem eu matava, estou arrependido pelo que fiz, agora não sei se vou viver”, disse o jovem.

Prisão
A prisão de Dhionathan, aconteceu no sábado (27), em uma cidade a 130 km da fronteira com o Brasil, em Horqueta (Departamento de Concepción), segundo a Polícia Nacional do Paraguai, ele não utilizada identidade falsa. Na segunda-feira (29), ele foi entregue às autoridades brasileiras em Pedro Juan Caballero, fronteira do Paraguai com o Brasil em Mato Grosso do Sul. O rapaz havia fugido no dia (3) de março da Unei – Unidade Educacional de Internação Mitaí, ainda segundo ele, não teve a participação de nenhum agente, logo que fugiu da Unei, foi para Horqueta, onde tinha uma amiga que o ajudava.

Ponta Porã
Nesta terça, o Delegado Alexandre Amaral Evangelista, afirmou ao “G1/MS” que aguarda uma decisão judicial, que deve determinar para onde o Maníaco da Cruz será encaminhado. “Até que a decisão seja expedida, ele ficará isolado na delegacia”, disse o delegado.

Ainda na manhã de terça (30), por volta das 11h, policiais que se encontravam de plantão no 2º Distrito Policial, ouviram um estampido de arma de fogo, vindo da cela onde se encontra o Dhionathan Celestrino de 21 anos, mais conhecido nacionalmente como “Maníaco da Cruz”.

Os policiais foram até ao local e constatou que o estampido era da arma de fogo de um investigador de 34 anos, o qual alegou que o disparo foi acidental.

Informações extraoficiais dão conta que o tiro não teria acertado o jovem, onde o caso pode ter sido uma tentativa de homicídio, não foi confirmado pela polícia e muito mesmo desmentida.

A reportagem telefonou para hospitais em Ponta Porã e não tem boletins médicos sobre a pessoa de Dhionathan, não se sabe se acertou ou não o jovem.

O caso foi registrado no Distrito Policial, como disparo de arma de fogo, a reportagem do Jornal da Nova tentou contato com o Delegado responsável pelo caso, mas os investigadores do Distrito Policial estão “blindando” o caso.

Reabilitação

Apreendido aos 16 anos, em 2008, após assassinar três pessoas em Rio Brilhante, sua cidade natal, e colocá-las em posição de cruz, o jovem foi encaminhado à Unei de Ponta Porã, local onde fugiu em março deste ano.

E foi na Unei que ele cursou nos anos de 2009, 2010 e 2011 o Ensino Médio. Suas notas não eram as melhores, porém o suficiente para ser aprovado. No 3º ano do Ensino Médio, por exemplo, se destacou nas disciplinas de exatas: matemática e química.

Extremamente calmo e calado, Dhionathan preferia estudar sozinho, longe dos demais colegas da Unei. No tempo em que esteve na unidade de Ponta Porã se demostrou interessado por clássicos literários. A leitura era uma das dedicações do jovem enquanto esteve em reabilitação.

Em seus cadernos, tinham poesias, frases e citações, entre várias, vale ressaltar uma “logo estarei livre para reiniciar com alegria sua atividade de serial killer. E, se perguntarem a razão, talvez diga como um jovem criminoso que assaltou um amigo meu: Nada. Hoje, sai para matar alguém”.

Destino de Dhionathan ainda é incerto para as autoridades, que buscam apoio em 23 locais, além de MS, estão sendo cotados Minas Gerais e o Estado de São Paulo, enquanto isso, ele permanece separado dos demais presos na Polícia Civil de Ponta Porã.

Cidade natal
Já os moradores de Rio Brilhante se sentem aliviados com a prisão do jovem e dizem que a rotina voltou ao normal, segundo a polícia local, muitas adolescentes e jovens, ficaram praticamente o período que ele estava foragido, fora da escola com medo de que ele retornaria para a cidade, para dar continuidade aos crimes.
 

Cobertura do Jornal da Nova

Quer ficar por dentro das principais notícias de Nova Andradina, região do Brasil e do mundo? Siga o Jornal da Nova nas redes sociais. Estamos no Twitter, no Facebook, no Instagram e no YouTube. Acompanhe!