''Ferrugem da soja é a aftosa da pecuária'', diz Figueiró

Da Redação


O senador Ruben Figueiró (PSDB-MS) associou a ferrugem da soja à febre aftosa que é extremamente prejudicial ao gado. Para ele, são dois grandes males da agropecuária. O senador acompanhou audiência pública na Comissão de Agricultura e Reforma Agrária (CRA) nesta quarta-feira para debater os impactos socioeconômicos da ferrugem asiática nas plantações de soja no Brasil.

Figueiró elogiou a relevância do tema sugerido pelo senador Blairo Maggi (PR-MT), pois em 11 anos o prejuízo computado foi de U$ 25 bilhões devido a redução na produtividade.

O tucano reclamou da burocracia, que, em última instância, acaba prejudicando a produção agropecuária brasileira. “Existe uma lerdeza burocrática nas ações do governo federal. Reconheço o esforço do Ibama, do Ministério da Agricultura e da Anvisa, mas a burocracia atrapalha quem depende das ações e quem age em nome do governo”, constatou.

Ruben Figueiró concordou com as exposições especialmente de Eduardo Daher, diretor executivo da Associação Nacional de Defesa Vegetal (Andef), e de Tadashi Yorinore, da Associação Brasileira de Produtores de Soja, Aprosoja.

Para os especialistas, o controle da ferrugem da soja exige uma série de medidas. Além do uso de agrotóxicos, seria necessário fazer a rotação de culturas, barreiras florestais para conter a disseminação pelo vento e a adoção do chamado vazio sanitário – período de 90 dias sem o plantio da cultura. Além disso, o governo deveria agilizar o registro de agrotóxicos com novos princípios ativos, uma vez que tem sido verificada redução da eficiência dos defensivos agrícolas.

Com Assessoria

Cobertura do Jornal da Nova

Quer ficar por dentro das principais notícias de Nova Andradina, região do Brasil e do mundo? Siga o Jornal da Nova nas redes sociais. Estamos no Twitter, no Facebook, no Instagram e no YouTube. Acompanhe!