Contas em nomes de laranjas movimentou R$ 3 mi em 5 meses, diz Gaeco

Da Redação


Segundo informações do Gaeco – Grupo Armado de Atuação Especial Contra Crime Organizado, que deflagrou hoje (24), a “Operação Blackout”, juntamente com a Polícia militar, a facção criminosa investigada abriu 40 contas bancárias em nomes de laranjas e movimentou cerca de R$ 3 milhões de reais, em apenas cinco meses de atividades, de janeiro até maio deste ano. Segundo o Gaeco, as contas vinham sendo monitoradas desde dezembro de 2012 e, nesse período, elas também foram bloqueadas.

A polícia também monitorou cerca de 170 aparelhos celulares que entraram no Presídio de Segurança Máxima em Campo Grande, as escutas telefônicas autorizadas pela Justiça, revelavam vários ataques simultâneos por eles contra membros da segurança pública do Estado.

A operação tem por finalidade o cumprimento de 55 mandados de prisão preventiva e seis mandados de busca e apreensão domiciliar, expedidos pelo Poder Judiciário. As ações acontecem nas cidades de Campo Grande, Dourados, Três Lagoas, Ponta Porã, Nova Andradina e Corumbá.

Cobertura do Jornal da Nova

Quer ficar por dentro das principais notícias de Nova Andradina, região do Brasil e do mundo? Siga o Jornal da Nova nas redes sociais. Estamos no Twitter, no Facebook, no Instagram e no YouTube. Acompanhe!