Bancos são multados em R$ 4 mi por demora em filas

Uol


O Procon-PR multou seis bancos diferentes em pouco mais de R$ 4 milhões, devido a reclamações recebidas de clientes sobre o tempo gasto nas filas para atendimento. Em alguns casos, a espera chega a passar de uma hora, de acordo com o Procon.

Os bancos Itaú, Caixa Econômica, Bradesco, Banco do Brasil, Santander e HSBC terão de pagar, ao todo, R$ 4.033.929,60 de multa -- o equivalente a cerca de R$ 672 mil para cada banco.

Muitos consumidores têm procurado o órgão para reclamar sobre o não cumprimento da Lei 13400/01, que estabelece o tempo máximo de espera, em filas de bancos, que não pode ultrapassar 20 minutos.

De acordo com Cila de Fátima Mendes, responsável pela Divisão Jurídica do Procon-PR, "a conduta dos bancos contraria as disposições do Código de Defesa do Consumidor e da lei estadual, por desrespeitar vários direitos ali previstos, entre os quais, submeter o consumidor a tempo de espera em filas que ultrapassa uma hora".

Resposta dos bancos
Em nota, o Itaú Unibanco afirma que o tempo médio de atendimento em suas agências, nos últimos três meses, foi de menos de 11 minutos no Paraná. O banco diz ainda que "continuará focado no investimento em equipes capacitadas, serviços de qualidade diferenciada e tecnologia, reafirmando o compromisso com a excelência".

O Bradesco afirma, também em nota, que "já realizou ajustes para garantir célere atendimento aos clientes e usuários de seus serviços".

O Santander informa que até o momento desconhece essa autuação. Entretanto, afirma que "trabalha constantemente para o aperfeiçoamento e capacitação de suas equipes para se adequar à legislação vigente".

A Caixa afirmou que "até o presente momento não recebeu nenhuma notificação do Procon em Curitiba e região". O banco disse, ainda, que "por ter uma atuação voltada ao social, (...) recebe em suas agências grandes contingentes de pessoas em busca de informações ou benefícios (...), além de financiamentos para habitação, principalmente, que se somam aos produtos e serviços bancários tradicionais."

As assessorias do Banco do Brasil e do HSBC foram procuradas pelo "Uol", mas ainda não se manifestaram sobre o assunto.

Cobertura do Jornal da Nova

Quer ficar por dentro das principais notícias de Nova Andradina, região do Brasil e do mundo? Siga o Jornal da Nova nas redes sociais. Estamos no Twitter, no Facebook, no Instagram e no YouTube. Acompanhe!