Nova Andradina: uma cidade universitária

*Igor Vitorino da Silva


A cidade Nova Andradina é considerada um dos grandes polo do ensino superior no Estado Mato Grosso do Sul. Entretanto, é preciso, urgentemente, construir um planejamento estratégico que dê sustentabilidade à longo prazo a esse pilar do desenvolvimento local. O aprofundamento desse vetor de crescimento econômico poderá significar ganhos para os cofres públicos, o setor de serviços e a população em geral. Ao atrair estudantes, movimentar a cidade e dar outros usos ao espaço urbano local cria-se um contexto de oportunidades e mais possibilidade de diversificação econômica para a cidade Sorriso e a região do Vale do Ivinhema.

Por que estruturar um planejamento estratégico municipal? É justamente para reforçar as atuais ações e estratégias na direção de aprofundamento e consolidação da presença do ensino superior, público ou particular, na “cidade Sorriso”. A primeira ação deveria ser uma discussão pública para as escolhas de cursos, pautada em pesquisa de demanda local e regional, levando-se em consideração com potencial atrativo de estudantes de outras localidades, as dinâmicas socioeconômicas locais e as expectativas dos futuros estudantes. As forças políticas locais poderiam sugerir às instituições de ensino a criação de cursos superiores nas áreas das ciências agrárias e das biomédicas, assim como aprimoramento dos atuais ofertados.

A partir disso poder-se-ia criar um catálogo de cursos para ser divulgado na região e nas localidades de influência do município de Nova Andradina (Mude sua vida, estude em Nova Andradina!). Com o término das obras do Centro de Convenções o Governo Municipal em parceria com as instituições de Ensino Superior poderá construir um plano de ação para a atrair de seminários regionais e internacional para a localidade, dando assim visibilidade à cidade no cenário do ensino superior brasileiro, apresentando-a como alternativa para o sonho do curso superior.

Para potencializar e fortalecer a presença dos cursos superiores na localidade o Governo Municipal poderia criar um Fundo Municipal de Fomento a Ciência e Tecnologia, em parceria com poder privado, visando fortalecer a pesquisa científica e tecnológica local, assim como a extensão universitária. Para isso não seria preciso grandes volumes de recursos. Com um edital de 200 mil reais, já se estimularia o desenvolvimento local, proporcionando compras de equipamentos para laboratórios e bolsa de pesquisa, o que estimularia a fixação de docentes bem qualificados e sustentaria a proposta do Governo Municipal de criar um tecnopolo em Nova Andradina.

Mas, como atrair alunos para cidade Sorriso? Nesse ponto, novamente entraria o protagonismo político do poder municipal em articulação com setor privado criando “repúblicas municipais”. Elas poderiam ser administradas pelo poder municipal em parceria com setor privado. Elas seriam uma estratégia importante para conter a especulação imobiliária, que geralmente é um fator limitante na decisão o envio do estudante para outras cidades. Essas repúblicas municipais funcionariam como um chamariz, constituindo-se num facilitador da escolha por Nova Andradina.

Além disso, para que a cidade possa ser escolhida como lugar para estudo, a criatividade e ousadia do setor privado são primordiais. A vida cultural de Nova Andradinense precisará ser reformulada, aceitando outros estilos de vida mais metropolitanos e cosmopolitas. Assim, cinema, teatros, bares e diversidade musical são centrais para atrair estudantes para localidade. A cidade precisa ser um lugar de aventuras e experiências coletivas, como acontece em Ouro Preto(MG), Viçosa(MG), Marechal Cândido Rondon(PR). Há uma certa tolerância moral e cultural ao excentrismo da vida estudantil universitária terá que ser cultivada pela sociedade nova andradinense caso queria consolidar seu título de cidade universitária do sudeste de Mato Grosso Sul.

Na realidade, esse projeto de Nova Andradina “cidade universitária” só poderá ser concretizado a partir de uma profunda parceria entre os poderes públicos, instituições ensino e sociedade civil (empresários, associações, movimentos sociais). Nesse texto somente foram pinceladas ideias, que exigem uma profunda discussão e análise técnica de suas viabilidades. No atual cenário de gestão das cidades, às estratégias de atração de investimentos e recursos passam pelo uso das criatividades locais e proposição de estratégias que levem em consideração o futuro e não simplesmente o presente da localidade. Atual presença forte do ensino superior em Nova Andradina precisa urgentemente ser utilizada como oportunidade de futuro.


*Historiador e professor de História do Campus Nova Andradina/IFMS

Cobertura do Jornal da Nova

Quer ficar por dentro das principais notícias de Nova Andradina, região do Brasil e do mundo? Siga o Jornal da Nova nas redes sociais. Estamos no Twitter, no Facebook, no Instagram e no YouTube. Acompanhe!