Sisfron vai investir R$ 864 milhões em Mato Grosso do Sul

Da Redação


O Sistema Integrado de Monitoramento das Fronteiras (Sisfron) vai investir R$ 864 milhões em Mato Grosso do Sul na primeira etapa de implantação. O Estado, mais precisamente Dourados, é o projeto piloto do País em vigilância das fronteiras. O município, que deverá receber R$ 38 milhões, sediou ontem o Seminário “Impactos do Sifron para Dourados e região”, proposto pelo deputado federal Geraldo Resende.

Durante o evento, o secretário de Segurança Pública de Mato Grosso do Sul, Wantuir Jacini, disse que o Sisfron será ferramenta importante para aprimorar a segurança pública em Mato Grosso do Sul. Neste sentido ele destacou o papel do Gabinete de Gestão Integrada (GGI) que envolve todos os órgãos de segurança pública no combate aos ilícitos nas fronteiras.

Jacini também anunciou a compra de equipamentos e viaturas para a Polícia. Ao jornal "O Progresso", o general João Roberto de Oliveira, assessor especial do Exército para o setor Cibernético e para o Sisfron, disse que Dourados já recebeu R$ 19 milhões em investimentos em tecnologia. A previsão é de que até 2016 o Sistema esteja em pleno funcionamento em MS.

Oliveira destacou que o Estado foi escolhido para ser piloto devido a característica de fronteira “seca”, onde crimes, principalmente como o narcotráfico seriam destaques em relação a outras regiões do país. Outro motivo foi a integração dos órgãos de segurança pública e a organização da 4ª Brigada. Em Dourados as obras de construção do Sisfron já tiveram início.

Em relação a geração de empregos em Mato Grosso do Sul, a previsão é de que o serviço gere mais de 7 mil vagas no projeto piloto; 991 novas vagas de trabalho diretos e indiretos nas áreas de infraestrutura e tecnologia em Dourados. O cronograma prevê a contratação de pessoal a partir do ano que vem, através de empresas prestadoras de serviços do Exército.

O Centro de Operações está sendo construído numa área da 4ª Brigada. A implantação está em fase da instalação de antenas para o monitoramento via satélite. Ao todo, o Exército em MS já recebeu 230 viaturas, entre blindados, caminhões, veículos leves e motocicletas. Também foram entregues um radar SABER M-60 com capacidade para detecção de até 60 quilômetros.

Do total de empregos previstos em Dourados, o projeto destina 179 postos diretos, 98 indiretos e efeito-renda para 349 pessoas na construção Civil. Já na área de tecnologia serão 19 empregos diretos, 98 indiretos e efeito renda para 248 pessoas.

O sistema monitorará os 16.886 quilômetros de fronteira, uma faixa que compreende 27% do território nacional. Antes de ser efetivamente implantado no País, o sistema será testado nos 650 quilômetros de faixa de fronteira em Mato Grosso do Sul.

Também usaram a tribuna o deputado Geraldo Resende. Segundo ele a bancada federal de Mato Grosso do Sul terá papel fundamental para continuar garantindo os investimentos federais que custeiam o projeto. Também formaram a mesa, o presidente da Câmara, Idenor Machado, os deputados estaduais Laerte Tetila e Zé Teixeira, o general Carvalho, da Brigada Guaicurus, o presidente da Aced, Antônio Nogueira.

Com informações O Progresso

Cobertura do Jornal da Nova

Quer ficar por dentro das principais notícias de Nova Andradina, região do Brasil e do mundo? Siga o Jornal da Nova nas redes sociais. Estamos no Twitter, no Facebook, no Instagram e no YouTube. Acompanhe!