Dois são achados enforcados em cela da Defurv

Correio do Estado


Dois participantes de assalto brutal contra um casal de idosos, no mês de abril, em Terenos, cometeram suicídio ontem à tarde, em uma das celas da Delegacia Especializada de Repressão a Roubos e Furtos de Veículos (Defurv), próximo ao Lago do Amor, em Campo Grande. Os dois estavam presos desde a semana passada.

Em decorrência do assalto em Terenos, o idoso Kazuo Suzue de 72 anos, faleceu há três semanas, em decorrência das agressões sofridas durante o roubo. A Polícia Civil relatou que os presos Diego Oliveira Lima de 20 anos, e Anderson Santana Martins de 18 anos, estavam na cela sozinhos. Eles almoçaram por volta de 12h30 e, pouco mais de 13h, os agentes viram os corpos quando foram recolher o que sobrou da refeição.

“Eles se enforcaram. Um com a própria calça jeans e outro com um agasalho de moletom”, disse a delegada responsável pela investigação e prisão da dupla, Maria de Lourdes Cano, titular da própria Defurv.

As roupas estavam rasgadas e parte delas foi recolhida nas celas. Os tecidos foram amarrados em uma grade de saída de ventilação para a cela. Segundo a delegada, eles prepararam o suicídio com cuidado por conta das amarrações feitas pelos dois.

“É bem difícil isso acontecer. Duas pessoas se suicidarem ao mesmo tempo. Pela perícia, conseguimos identificar que o Anderson se matou primeiro, o que nos faz pensar que o Diego tenha, de certa forma, ‘incentivado’ o suicídio do comparsa e, logo em seguida, se matou”, descreveu a titular da unidade de polícia especializada.

Mais assaltos

A outra vítima do assalto, Mio Suzue de 65 anos, até hoje não recebeu alta do hospital. A ação foi bastante violenta. Além de Diego e Anderson, participaram Samer Perez Tozzi de 18 anos – este, preso nesta sexta-feira, mais um menor de 14 anos já apreendido e enviado para Unidade Educacional de Internação (Unei) .

Eles haviam estudado o comportamento do casal na chácara e perceberam que eles ficavam sozinhos e que era fácil acessar a sede. Entraram na casa, amarraram e amordaçaram os dois idosos para levar um Honda Civic – depois vendido por R$ 8 mil no Paraguai, mais joias e dinheiro.

Por dois dias, os idosos permaneceram amarrados, pois não conseguiram se soltar. Os dois ficaram com queimaduras muito graves por conta da pressão das cordas nos tornozelos e nos braços. Também ficaram desidratados, pois não beberam água e não comeram por dois dias.

Cobertura do Jornal da Nova

Quer ficar por dentro das principais notícias de Nova Andradina, região do Brasil e do mundo? Siga o Jornal da Nova nas redes sociais. Estamos no Twitter, no Facebook, no Instagram e no YouTube. Acompanhe!