Em homenagem à cinegrafista, vereadora sobe à tribuna mascarada

Da Redação


A Câmara Municipal de Porto Alegre aprovou, na sessão ordinária desta segunda-feira, duas moções lembrando a morte do cinegrafista Santiago Ilídio Andrade, da TV Bandeirantes, atingido por um rojão em um protesto no Rio de Janeiro. Um dos requerimentos aprovados foi o da vereadora Mônica Leal (PP), que subiu à tribuna com uma máscara preta no rosto.

Mônica criticou o que ela considera "uma incoerência" dos manifestantes que participam de protestos tapando o rosto para não serem identificados. "Por que esconder o rosto numa manifestação?", questionou. "O que fica evidente é que violência gera violência, e foi necessário que um profissional da imprensa perdesse a vida para que aqueles que a representam assumissem uma postura mais responsável diante do caos social que alguns setores da política brasileira tentam instaurar em nosso País.

Chega de protestos violentos, de jovens mascarados e de manifestações marcadas por objetivos dúbios, sejam de caráter político ou social", disse a vereadora.

O segundo requerimento aprovado, de autoria do vereador Mário Manfro (PSDB), solicitou uma moção de repúdio "ao descaso das autoridades" frente aos atos violentos que resultaram na morte do cinegrafista da TV Bandeirantes. "Infelizmente, essa era uma morte anunciada. Mais cedo ou mais tarde teríamos uma tragédia dessa dimensão", disse Manfro.

Segundo o vereador, é preciso repudiar o descaso das autoridades frente à barbárie instaurada por manifestantes que promoveram saques de lojas, incêndios de ônibus e outros atos violentos. Que a morte de Santiago Andrade sirva para que autoridades se deem conta do que estava acontecendo no País. Na certeza da impunidade, esses vândalos chutam portas, quebram o pequeno comércio e não se importam com nada."

Ao ler a declaração de voto da bancada do PT, a vereadora Sofia Cavedon (PT) disse que o partido é favorável à moção de solidariedade à família de Santiago Andrade, mas repudia qualquer discurso que incite a violência aos movimentos sociais e ao Estado de exceção no País.

Cinegrafista morre atingido em protesto
O cinegrafista Santiago Andrade foi atingido na cabeça por um rojão durante a cobertura de um protesto contra o aumento das passagens de ônibus no Centro do Rio de Janeiro, no dia 6 de fevereiro. Além dele, outras seis pessoas ficaram feridas na mesma manifestação.

De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde do Rio de Janeiro, o cinegrafista chegou em coma ao hospital municipal Souza Aguiar. Ele sofreu afundamento do crânio, perdeu parte da orelha esquerda e passou por cirurgia no setor de neurologia. A morte encefálica foi informada pela secretaria no início da tarde de 10 de fevereiro, após ser diagnosticada pela equipe de neurocirurgia do hospital onde ele estava internado no Centro de Terapia Intensiva.

Terra

Cobertura do Jornal da Nova

Quer ficar por dentro das principais notícias de Nova Andradina, região do Brasil e do mundo? Siga o Jornal da Nova nas redes sociais. Estamos no Twitter, no Facebook, no Instagram e no YouTube. Acompanhe!