Boi: Março começa com incertezas no mercado pecuário

Da Redação, com Cepea/Esalq


O mercado pecuário começa março com incertezas relacionas à oferta de animais prontos para abate e à demanda, especialmente a doméstica, de acordo com pesquisadores do Cepea. Vale lembrar que os preços subiram com força no primeiro bimestre do ano.

Ao longo de fevereiro, o Indicador do boi gordo ESALQ/BM&FBovespa (estado de São Paulo) bateu consecutivos recordes nominais e registrou alta de 4,7%, passando de R$ 115,06 no dia 31 de janeiro para R$ 120,43 no dia 28 de fevereiro.

Segundo pesquisadores do Cepea, mesmo com a volta das chuvas com maior intensidade em algumas regiões produtoras nos últimos dias, algumas perdas dificilmente serão recuperadas no curto prazo. Quanto à demanda interna, os altos patamares de preços no atacado paulista têm inibido o consumo de carne bovina.

No mercado de Mato Grosso do Sul o boi também segue em alta, isso pode refletir no bolso do consumidor na hora das compras em açougues.

Com a forte demanda da cana-de-açúcar, os tradicionais fazendeiros que vinham de várias gerações com a pecuária, agora esta optando pela oferta das usinas em plantio de cana, com isso, o gado vai sumindo da região próxima de frigoríficos, o que eleva o preço.

Em Nova Andradina, a pecuária ainda esta equilibrada, mas o preço continua alto, isso faz com que frigoríficos da região, busquem os animais para abate, com mais de 300 km do matadouro, isso faz com que o preço da carne suba no varejo.

Cobertura do Jornal da Nova

Quer ficar por dentro das principais notícias de Nova Andradina, região do Brasil e do mundo? Siga o Jornal da Nova nas redes sociais. Estamos no Twitter, no Facebook, no Instagram e no YouTube. Acompanhe!