Trabalhador rural morre após ser sequestrado, mantido em cativeiro e torturado

Da Redação


Um crime bárbaro chocou a população de Rio Verde nesta sexta-feira (7). O trabalhador rural Loriel Gonçalves da Silva de 24 anos, conhecido como “Negão”, morreu depois de ter sido sequestrado, mantido em cativeiro e torturado depois que saiu de casa para pagar contas.

Segundo reportagem do “Edição de Notícias”, Ana Cláudia Gonçalves de 33 anos, que é irmã da vítima, contou que “Negão” retornou da fazenda na quarta-feira (5) e saiu de casa pela manhã com R$ 1.700 no bolso, para pagar contas na região central de Rio Verde. Depois disso o trabalhador rural não foi mais visto.

De acordo com Ana, na quinta-feira (6) ela conseguiu falar com o irmão e ele disse que estava na fazenda, passava bem e que voltaria para Rio Verde nesta sexta.

Ainda segundo o relato da irmã da vítima, na manhã desta sexta-feira (7), o Hospital Municipal teria recebido uma denúncia anônima informando que uma pessoa estava abandonada toda ensanguentada em uma residência localizada na rua Porfírio, no centro de Rio Verde.

Conforme informações repassadas para Ana Cláudia, quando o socorrista chegou ao local encontrou “Negão” caído de bruços, acompanhado de uma mulher e de um homem que estava com um alicate nas mãos sujo de sangue. O socorrista acionou a polícia, porém quando os militares chegaram no cativeiro, onde a vítima era mantida e torturada, ninguém foi encontrado.

“Negão” foi socorrido e levado para o hospital com vários ferimentos pelo corpo, com parte da língua cortada e com dentes quebrados e arrancados. Devido à gravidade do seu estado de saúde, ele precisou ser transferido para Campo Grande, mas não resistiu e morreu no caminho.

De acordo com a família o jovem não bebia, não tinha passagens pela polícia, era considerado uma pessoa calma e trabalhadora. O corpo do trabalhador rural esta sendo velado em Rio Verde e deve ser sepultado neste sábado (8).

A esposa da vítima, uma adolescente de 17 anos, contou que tem um suspeito e disse que a família pede Justiça.

Cobertura do Jornal da Nova

Quer ficar por dentro das principais notícias de Nova Andradina, região do Brasil e do mundo? Siga o Jornal da Nova nas redes sociais. Estamos no Twitter, no Facebook, no Instagram e no YouTube. Acompanhe!