Telexfree pede concordata nos EUA


A sede da Telexfree nos EUA anunciou nesta segunda-feira (14) que entrou com um pedido de concordata no Tribunal de Falências do Distrito de Nevada, nos EUA.

A companhia informou que protocolou pedido voluntário de proteção ao Capítulo 11 da Lei de Falências dos Estados Unidos - o equivalente a uma recuperação judicial - com o objetivo de reestruturar seus negócios, visando construir "uma base financeira sólida, com perspectivas de longo prazo".

Foram apresentados pedidos de concordata em nome das empresas: TelexFree, LLC; TelexFree, Inc.; e TelexFree Financial, Inc.

O Capítulo 11 da lei de falências americana (Bankrutpcty Code) permite a uma empresa com dificuldades financeiras continuar funcionando normalmente, dando-lhe um tempo para chegar a um acordo com seus credores. Esse procedimento significa uma vontade de reestruturação da companhia, sob o controle de um tribunal.

Em comunicado divulgado na sua página internacional, o presidente interino da Telexfree, Stuart A. MacMillan, disse que a medida ajudará a fortalecer a estrutura financeira e operações globais da empresa. "Esperamos que o nosso negócio vai continuar a operar, e tudo faremos para apoiar os nossos associados de vendas e clientes com novos produtos e melhoria dos serviços, incluindo os serviços de VoIP que estão se expandindo para alcançar mais de 70 países", afirma o porta-voz da empresa.

O "G1" procurou a Ympactus Comercial S/A, que utiliza comercialmente no Brasil o nome Telexfree, para saber o impacto da medida no país, mas não conseguiu localizar nenhum dos responsáveis pelo grupo.

Em vídeo divulgado nesta segunda-feira, um dos diretores da Telexfree no Brasil defende o pedido de concordata nos EUA, dizendo o bloqueio de recursos da empresa no Brasil afetou também a Telexfree internacional. "Foi afetada sim, diretamente. Muito do dinheiro que está hoje preso, bloqueado no Brasil pertence à Telexfree internacional", afirma Carlos Costa. "É um remédio amargo, mas necessário...Vamos sair dessa, sim", acrescenta.

A Telexfree é investigada no Brasil por suspeita de ser uma pirâmide financeira. As atividades da empresa no país estão suspensas desde junho de 2013, por determinação da Justiça do Acre. Em fevereiro, a Telexfree teve negado pela segunda vez seu pedido de recuperação judicial no Brasil. para a Primeira Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Espírito Santo (TJ-ES), a empresa não poderia fazer o pedido por ter menos de dois anos de atividade.

No vídeo, o diretor da Telexfree nega a prática de qualquer irregularidade e diz que a empresa está tomando todas as medidas necessárias para atender as legislações brasileiras e de outros países. "Aqui, não tem pessoas que vão correr, pessoas que vão sumir, não. Ninguém está fazendo nada errado."

Cobertura do Jornal da Nova

Quer ficar por dentro das principais notícias de Nova Andradina, região do Brasil e do mundo? Siga o Jornal da Nova nas redes sociais. Estamos no Twitter, no Facebook, no Instagram e no YouTube. Acompanhe!