''Não era minha intenção'', diz Dhomini sobre ataque de fúria

Bol


O ex-BBB Dhomini deu sua versão do caso envolvendo a quebra de pisos de porcelanato em uma loja em Goiânia. Ao contrário do que disse o gerente da São Jorge Shopping da Construção, Dhomini contou que não comprou os materiais da promoção e culpou o gerente do estabelecimento pela sua atitude.

"Eu comprei o piso que custava R$ 32 reais, gastei no total R$ 642,75. Isso não me parece material da promoção", explicou Dhomini. Ele explicou que esteve na loja e escolheu os pisos, ao chegar em casa percebeu que o carregador havia trocado o material.

"No mesmo momento que percebi o erro voltei à loja para fazer a devolução e o gerente disse para eu procurar o SAC (Serviço de Atendimento ao Consumidor). Falei que precisava resolver isso logo porque estava com os pedreiros na minha casa. O gerente me ignorou, virou as costas para mim. Não perdi a cabeça à toa", relaltou Dhomini.

Ele afirmou que sua intenção "não era fazer estardalhaço" e muito menos chamar atenção da mídia. "Quem gravou tudo foi o próprio funcionário da loja. Perdi a cabeça e quebrei tudo já que não iria mais usar aqueles pisos", completou.

Dhomini frisou que vai lutar pelos seus direitos de consumidor. "Vou entrar com ação contra danos materiais e morais. Vou fazer valer meu direito de consumidor, sei que não é a primeira vez que essa loja passa por esses problemas", finalizou.

Outro lado
Procurada pela reportagem, a loja São Jorge Shopping da Construção explicou que o campeão do "BBB3" comprou o porcelanato na ponta de estoque e, por esse motivo, o material poderia estar com avarias ou outras pequenas variações, como nas tonalidades, por serem de lotes diferentes.

"Para estes produtos não são aceitas trocas e nem devoluções das mercadorias vendidas, conforme informado pelos próprios vendedores durante a venda, além de constar no pedido, no orçamento de vendas e nos diversos cartazes afixados nos produtos da seção", disse Sérgio Renato Schramm, diretor administrativo financeiro da loja.

Aconselhados pela PM, os funcionários do estabelecimento registraram Boletim de Ocorrência na Primeira Delegacia Distrital de Polícia de Goiânia. "Fizemos queixa de constrangimento por ele ter causado um prejuízo moral inigualável para a nossa loja", explicou Ludmila Martins, gerente de marketing da loja.

Cobertura do Jornal da Nova

Quer ficar por dentro das principais notícias de Nova Andradina, região do Brasil e do mundo? Siga o Jornal da Nova nas redes sociais. Estamos no Twitter, no Facebook, no Instagram e no YouTube. Acompanhe!