Integrantes do PCC são assassinados em emboscada no Ceará

Segundo fontes do Ministério Público, Gegê do Mangue e Paca foram assassinados por integrantes da própria facção criminosa

Da Redação


Rogério Jeremias de Simone, o Gegê do Mangue, número dois da hierarquia do PCC (Primeiro Comando da Capital), e o parceiro dele, Fabiano Alves de Souza, o Paca, também do primeiro escalão da organização criminosa, foram mortos a tiros no Ceará.

Leia também

>> Foragido, Gegê do Mangue deve ser julgado à revelia em SP

>> Um dos líderes do PCC está desaparecido

 

Segundo fontes do Ministério Público, eles foram assassinados por integrantes da própria facção criminosa. Isso porque Gegê do Mangue foi acusado de ter ordenado a morte de Edílson Borges Nogueira, o Biroska, ocorrida em 5 de dezembro de 2017, na Penitenciária 2 de Presidente Venceslau (SP). 

Biroska era um preso querido e reverenciado no sistema carcerário. 

Os líderes máximos do PCC estavam isolados em regime disciplinar diferenciado, o RDD, e não deram nenhuma autorização para matá-lo. 

Gegê do Mangue teria agido por conta própria e por isso foi morto em represália. Ele saiu em liberdade condicional dias antes de ser julgado por homicídios de desafetos na rua. 

O júri foi feito sem a presença do réu, e o condenou a 47 anos de prisão. Ele estava foragido.

Já Paca estava em liberdade condicional. 

Segundo os advogados dos dois criminosos, eles foram assassinados durante uma emboscada. Com Band

Cobertura do Jornal da Nova

Quer ficar por dentro das principais notícias de Nova Andradina, região do Brasil e do mundo? Siga o Jornal da Nova nas redes sociais. Estamos no Twitter, no Facebook, no Instagram e no YouTube. Acompanhe!