Criminosos mortos em confronto com a polícia em Ponta Porã são todos paraguaios

Durante a operação policial foi apreendido armas de fogo e carros roubados
Da Redação / Imagens: Ponta Porã News
12/01/2021 19h00

A Polícia Civil de Ponta Porã divulgou na tarde desta terça-feira (12), os nomes das pessoas que foram mortas em confronto com forças policiais durante um trabalho de investigação na noite desta segunda-feira (11) e na madrugada de hoje.

 

Leia também

|Mortos em confronto podem ter ligação com assassinatos ocorridos na região da fronteira

|Registrada a morte do oitavo criminoso após confronto na fronteira

|Sete suspeitos de integrarem facção criminosa são mortos em confronto com a polícia em Ponta Porã

 

De acordo o trabalho pericial os mortos são todos paraguaios e foram identificados como: Diego Marcial Moraez González, de 28 anos, Oscar Prieto Davalos, de 23 anos, Blas Daniel Moraez González, de 18 anos, Edison Prieto Davalos, de 27 anos, Daniel Irala de Santa Ana, Fredy Portillo de Santa Teresa, Ruben Dário, conhecido como Touro e Alcides Trinidad, o Jonhy de 19 anos.

 

Ainda segundo a polícia, uma carteira identidade encontrada em nome de Oscar Ruben Dario Del Valle não corresponderia a nenhuma das vítimas. Todos estariam envolvidos em pistolagem e ao crime organizado na fronteira e estavam sendo investigados em alguns crimes ocorridos recentemente nas cidades de Pedro Juan Caballero e Sanja Pytã.

No início das investigações chegou-se a cogitar que o grupo estaria ligado a tentativa de resgate de Giovanni Barbosa da Silva, o “Bonitão”, ocorrida durante o final de semana em Pedro Juan Caballero e que resultou em intensa troca de tiros, onde uma bala perdida deixou um morador da região onde ocorreu o confronto paraplégico.

 

Juntamente com outros comparsas, Barbosa foi transferido avião de Pedro Juan para Ciudad del Est e depois entre para a Polícia Federal na Ponte da Amizade em Foz do Iguaçu (PR).

 

As investigações continuam para saber se há ligação entre diversas mortes ocorridas recentemente, inclusive o assassinado de um homem e da filha dele, de 9 anos, em Sanja Pytã, de um brasileiro que foi fuzilado enquanto tomava tereré em frente a uma ridência onde um idoso ficou ferido com um tiro em uma das pernas e da execução de um casal em frente a um cassino na Linha Internacional, onde os dois foram mortos com mais de 100 tiros de fuzil. Aliás, a investigação deste crime que levou a descoberta dos paraguaios que estavam escondidos no bairro Julia Cardinal em Ponta Porã, onde ocorreu o confronto. Com informações do Ponta Porã News



Comunicar erro




VEJA MAIS