Polícia prende 8 em fazenda de Pavão com produtos para fabricar cocaína

Polícia investigava furto de gado, mas encontrou em fazenda 3.800 litros de acetona, usada no preparo de cocaína
Campo Grande News / Imagens: ABC Color
24/02/2021 17h53
Região de Água Dulce, em Alto Paraguay / Imagens: ABC Color

A polícia paraguaia investigava o furto de gados na região de Água Dulce no Paraguay, quando encontrou na terça-feira (23) cerca de 3.800 litros de acetona, líquido utilizado no preparo de cocaína na fazenda El Tigre, de propriedade de Jarvis Pavão, narcotraficante brasileiro, atualmente no Presídio Federal de Brasília.

 

A polícia procurava os animais furtados na região, mas não encontraram os bovinos. No local, oito pessoas foram presas, além de 10 aparelhos celulares e quatro armas de fogo, sendo dois revolveres e dois rifles.

 

O produto para fabricação do entorpecente estava distribuído em 19 tambores de 200 litros cada, segundo informado pelo portal “ABC Color”.

 

Entre os presos estão o administrador da fazenda Waldimiro Ymas González, Junnior Elías Lesmo, de 25 anos, Antonio Navarro Duarte, de 32 anos, Dário Raúl Lesmo, de 43 anos, Carlos María Sosa, de 33 anos, Heriberto Chena Mancuello, de 47 anos, Fábio Ignacio Cuenca Benitez, de 21 anos e Roque Antonio Ferreira, de 43 anos.

 

O promotor antinarcóticos Andrés Arriola disse que a fazenda vinha sendo monitorada por causa da movimentação constante de aviões. Em uma aeronave que estava na fazenda também foi encontrado um grande volume de droga.

 

Jarvis Pavão

Um dos principais traficantes de cocaína da Linha Internacional, Jarvis é de Ponta Porã e foi sócio de Jorge Rafaat Toumani. Depois teria se aliado ao PCC (Primeiro Comando da Capital) e foi acusado de tramar com a facção a execução de Rafaat, em junho de 2016.

 

Nos últimos três anos, no entanto, as quadrilhas viraram inimigas e várias pessoas ligadas a Jarvis Pavão foram executadas, supostamente a mando do PCC.



Comunicar erro




VEJA MAIS