Polícia Ambiental autua capataz por exploração de madeira em área protegida de reserva legal

Da Redação / Imagens: PMA/Divulgação
02/05/2021 17h00

Depois de receberem denúncias de exploração ilegal de madeira em área protegida, policiais da PMA (Polícia Militar Ambiental) de Coxim realizaram fiscalização neste sábado (1º) em uma propriedade rural no município, a 35 km da cidade, confirmaram a denúncia e autuaram o capataz da propriedade por crime ambiental de extração de madeira da área protegida de reserva legal. No local foram encontradas árvores derrubadas para exploração da madeira sem autorização do órgão ambiental. Caso a PMA não chegasse mais árvores seriam exploradas.

 

A madeira explorada das árvores derrubadas estava sendo transformada em vigas e poste para cerca. O capataz assumiu a responsabilidade pela infração e afirmou que contratou uma pessoa, que ficaria com metade do material lenhoso que fosse explorado. A madeira foi apreendida e as atividades foram paralisadas.

 

O capataz da fazenda, de 50 anos, residente em Coxim, foi multado administrativamente em R$ 5 mil. Ele também responderá por crime ambiental de exploração de madeira em área protegida. A pena é de seis meses a um ano de detenção.



Comunicar erro




VEJA MAIS