Setembro Amarelo: Batayporã promove aprimoramento da assistência em Saúde Mental

Campanha também proporciona suporte aos profissionais da Rede Municipal de Saúde e outros grupos estratégicos
Ascom/PMB / Imagens: Secretaria Municipal de Saúde
14/09/2021 16h30
Dinâmica com profissionais enfatizou visão integrada no atendimento / Imagens: Secretaria Municipal de Saúde

A campanha Setembro Amarelo, de prevenção ao suicídio, tem ampliado a discussão sobre saúde mental em Batayporã por meio de ações da Secretaria Municipal de Saúde. O órgão tem aprimorado o atendimento aos usuários do SUS e pautado o apoio aos profissionais.

 

Conforme explicou a psicóloga Sonia Amaral, as orientações preventivas compartilhadas pela rede têm sido trabalhadas junto a grupos estratégicos, além de contarem com ampla divulgação nos meios de comunicação locais.

 

Na última semana, a comunidade terapêutica Esquadrão da Vida, especializada no acolhimento de pessoas em situação de uso nocivo ou dependência de álcool e drogas, participou de palestra com a psicóloga.

 

Houve também um encontro promovido pelo Ambulatório de Saúde Mental com os profissionais de Enfermagem e agentes comunitários de Saúde no Centro de Convivência do Idoso Eliza Soares da Cruz.

 

A estratégia abordou a prevenção ao suicídio, escuta qualificada, primeiras intervenções e procedimentos para encaminhamento. “Esses profissionais geralmente são os primeiros a atender o paciente. Então, nós realizamos orientações sobre como acolher e encaminhar de uma forma segura, ética e eficaz”, explicou Sonia.

 

Nos próximos dias 23 e 30 de setembro, serão realizadas novas rodas de conversa com profissionais de saúde. Desta vez, recepcionistas, administrativos, profissionais de limpeza, vigilantes, motoristas e equipe do Pronto Atendimento Municipal serão contemplados.

 

Ambulatório de Saúde Mental

Somada à campanha, está a reestruturação das dinâmicas de atendimento em Psicologia do município. Desde o mês de junho, o serviço foi ampliado com acolhimento às segundas-feiras no Ambulatório de Saúde Mental. A medida diminuiu o tempo de espera por consultas.

 

“São mudanças para proporcionar celeridade à população. O primeiro passo é procurar as Estratégias de Saúde da Família (ESF) para que os profissionais possam encaminhar o paciente para tratamento”, detalhou a psicóloga e secretária municipal de Saúde, Letícia Sanches.



Comunicar erro




VEJA MAIS