Pecuarista é multado em R$ 12 mil por deixar gado sem comida em MS

Os policiais foram ao local e verificaram que oito animais tinham morrido
Luis Gustavo, Da Redação / Imagens: PMA/Divulgação
22/09/2021 16h00
Animais estavam debilitados e alguns morreram / Imagens: PMA/Divulgação
Policiais da PMA (Polícia Militar Ambiental) de Costa Rica receberam denúncia e constataram em uma fazenda no município de Figueirão, a 55 quilômetros da cidade de Costa Rica, que o rebanho bovino estava passando fome.
 
 
Os policiais foram ao local e verificaram que oito animais tinham morrido. O pasto estava degradado e o gado não conseguia se alimentar. Outros bovinos demonstravam situação de desnutrição, com as vértebras e costelas à mostra, desorientados e a procura de alimentação.

 

O Agência Sanitária Animal de Vegetal (IAGRO) já havia estado na propriedade no mês passado, e constatado o início do problema, conforme relatório de vistoria daquele órgão de vigilância, ao qual a equipe da PMA teve acesso.

O responsável pelos animais não cumpriu a notificação. Havia alguns fardos de feno na propriedade rural, porém, o funcionário não comparecia na fazenda para alimentar o gado. De qualquer forma, a quantidade de feno não era suficiente, pois eram 337 bois. A equipe ainda tentou resgatar um animal vivo sem forças, que estava caído em uma área úmida.

 

A PMA notificou o proprietário para que em 24 horas contrate um funcionário para alimentar os animais com feno e para realizar manejo do gado, bem como contratar um médico veterinário ou um zootecnista para acompanhar o rebanho na fazenda.

 

O infrator, de 43 anos, residente em Fernandópolis (SP), foi autuado nesta terça-feira (21), administrativamente e foi multado em R$ 12 mil por maus tratos aos animais. O autuado também responderá por crime ambiental de maus tratos, com pena de três meses a um ano de detenção.



Comunicar erro




VEJA MAIS