Câmara de Nova Andradina aprova moção contra privatização dos Correios

CMNA / Imagens: CMNA/Divulgação
22/10/2021 11h59

Por unanimidade, a Câmara de Vereadores de Nova Andradina aprovou a Moção de Preocupação e Apoio à manutenção dos Correios como empresa pública, com ampla presença no território nacional. O documento (Moção n°. 19/2021) foi apresentado pelo vereador Josenildo Ceará (PT) e destaca a preocupação do Legislativo municipal com a pretendida privatização da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos - ECT.

 

No documento, o parlamentar destacou que os Correios “são a única entidade do Governo Federal presente em todo o território nacional” e “prestam serviços de interesses sociais relevantes, como o transporte e entrega de correspondências e encomendas, além de serviços financeiros”.

 

Na ocasião, Ceará citou ainda os “inúmeros serviços relevantes para os órgãos públicos, federais, estaduais e municipais, como o recebimento de impostos e taxas, o pagamento de benefícios sociais, inscrições em cadastros e concursos, logística de eleições, distribuição de livros didáticos e de provas de concursos públicos, distribuição de medicamentos e vários outros”.

 

Em outro trecho da moção, o parlamentar enfatizou o papel dos Correios como “parceiros e fator de fomento das pequenas e médias empresas, especialmente das que atuam no comércio eletrônico, sendo líder no segmento de encomendas nacionais e internacionais” e “os diversos benefícios da presença dos Correios e da oferta de seus serviços para as populações e para as economias das localidades do interior do País”.

 

A partir dessas ponderações, Ceará citou o Projeto de Lei 591/2021, que autoriza a privatização dos Correios, proposto pelo Governo Federal e já aprovado na Câmara dos Deputados, requerendo o envio da Moção ao presidente da República, senador presidente do Senado Federal, deputado presidente da Câmara Federal, ministro da Casa Civil, ministro da Ciência, Tecnologia, Inovação e Comunicações, ministro da Economia e presidente dos Correios, bem como para todos os deputados federais e senadores de Mato Grosso do Sul.



Comunicar erro




VEJA MAIS