Polícia Federal deflagra simultaneamente duas operações contra o tráfico internacional de drogas em MS

Ação conjunta da Polícia Federal e Receita Federal resultou nas Operações Urano e Canis
Da Redação / Imagens: Arquivo/Polícia Federal/Divulgação
24/11/2021 08h06

A Polícia Federal deflagrou simultaneamente nesta quarta-feira (24), em atuação conjunta com a Receita Federal, as “Operações Canis e Urano”, em razão da existência de alvos em comum.

 

Operação Canis

As investigações tiveram início com a abordagem e fuga do líder da organização criminosa no posto de imigração fronteiriço entre Corumbá e o país vizinho Bolívia. Foi encontrada em sua posse uma extensa contabilidade criminosa, dez aparelhos celulares e documento falso que, após análises, demonstraram o envolvimento do líder da organização criminosa com o tráfico internacional de cocaína através de aeronaves.

 

Durante a fase sigilosa da operação, que teve início em fevereiro de 2019, foi apreendida carga de quase meia tonelada de cocaína em aeronave oriunda da Bolívia e identificados diversos partícipes da empreitada criminosa.

 

Na fase ostensiva da operação, 38 Policiais Federais cumprem quatro mandados de prisão e nove mandados de busca e apreensão nas cidades de Campo Grande e Dourados, no Estado do Mato Grosso do Sul, em Atibaia, no Estado de São Paulo, em Bento Gonçalves, no Rio Grande do Sul e, em Foz do Iguaçu, no Paraná. Além disso, foi determinado o sequestro de um imóvel de luxo, diversos veículos e duas aeronaves.

 

Canis aureus é o nome científico do chacal, animal que apelidava o principal alvo da operação, o qual já fora investigado e preso em operações anteriores, todas relacionadas ao tráfico de entorpecentes.

 

Operação Urano

Iniciada para apurar as atividades de grupo dedicado ao tráfico internacional de entorpecentes a partir da cidade de Amambai, a investigação logrou realizar a apreensão, na cidade de Naviraí, de carga de cerca de 220 quilos de maconha.

 

Realizada a análise dos dados bancários e fiscais dos investigados em conjunto com o Núcleo de Pesquisa e Investigação da Receita Federal no Mato Grosso do Sul, foi possível aferir a participação de diversas pessoas e empresas na movimentação e ocultação de valores do grupo criminoso.

 

Nesta data serão cumpridos mandados e busca e apreensão e um mandado de prisão nas cidades de Campo Grande e Goiânia (GO).

 

O nome da operação remete ao nome do principal investigado, que coincide com o nome de uma das luas do planeta Urano.

 

As investigações tramitaram junto à Justiça Federal em Corumbá e Campo Grande e foram deflagradas conjuntamente em razão da existência de investigados em comum.



Comunicar erro




VEJA MAIS