Vídeo: Professor nigeriano é vítima de agressão e injúria racial em Dourados

Suspeito, de 61 anos, pagou fiança e responderá em liberdade
Da Redação / Imagens: WhatsApp/Jornal da Nova
04/08/2022 07h25
Caso aconteceu em um mercado atacadista em Dourados / Imagens: WhatsApp/Jornal da Nova

Um bioquímico e doutor em Ciência da Saúde, que atua como professor visitante na UFGD (Universidade Federal da Grande Dourados) e sua família, que são nigerianos, foram vítimas de agressão e injúria racial nesta quarta-feira (3), em um mercado atacadista, em Dourados.

 

Conforme informações do site “Dourados News”, a Polícia Militar foi acionada para atender ocorrência de vias de fato em um supermercado de vendas de atacado, na região da Vila Industrial. Os suspeitos teriam agredido um homem e seu filho, de seis anos, além de ter praticado injúria racial.

 

Conforme as informações do boletim de ocorrência, um homem, de 48 anos, fazia compras com a família, todos de origem estrangeira, quando deixou o filho, de apenas seis anos, na fila do caixa cuidando de um carinho de compras que imaginava ser o seu, e foi pesar as frutas.

 

Ao retornar, a criança afirmou que havia sido agredido por uma mulher que disse que ele estava roubando o carrinho de compras dela.

 

O homem então foi até a senhora, de 62 anos, para perguntar o que havia acontecido, e está afirmou que eles estavam roubando seu carrinho. Durante uma discussão ela e seu marido, de 61 anos, chamaram o pai da criança de ‘preto’ em tom ofensivo e o homem ainda desferiu um soco na vítima.

 

Funcionários do mercado apresentaram vídeo que comprovam a versão da vítima, bem como testemunhas que estavam no local e que se dispuseram a depor.

 

Os suspeitos foram localizados no estacionamento do estabelecimento e foram até a Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) para o registro da ocorrência.

 

Ainda segundo as informações, a mulher disse à polícia que não bateu na criança, entretanto, retirou sua mão do carrinho, e disse que o fez pois já havia ocorrido isto antes, de ter o carrinho roubado por ‘esse tipo de pessoa’, se referindo a pessoas estrangeiras.

 

Diante dos fatos, a ocorrência foi registrada como vias de fato e injúria (se consiste na utilização de elementos referentes a raça, cor, etnia, religião, origem ou a condição de pessoa idosa ou portadora de deficiência).

 

O homem, de 61 anos, pagou fiança no valor de R$ 1.212 e foi liberado.



Comunicar erro




VEJA MAIS