• Paraíso17

Agepen vai abrir processo administrativo disciplinar no caso de servidor preso

Adilson Brum Weis trabalha atualmente no Instituto Penal da Capital
Correio do Estado / Imagens: Valdenir Rezende/Correio do Estado
13/06/2018 15h59
Adilson Brum Weis, preso durante a Operação Paiol / Imagens: Valdenir Rezende/Correio do Estado

Agepen (Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário) está acompanhando as investigações do servidor Adilson Brum Weis, preso durante a operação Paiol, deflagrada nesta terça-feira (12). A Agepen abrirá um processo administrativo disciplinar, paralelo às investigações da operação.

 

|Leia também

| Esposa de líder do PCC fazia contabilidade da facção na Capital, diz comandante

Gaeco volta a Nova Andradina e deflagra operação contra suspeitos de integrar o PCC

 

Adilson trabalha atualmente no Instituto Penal de Campo Grande e estaria repassando informações sigilosas para integrantes do PCC. Em nota, a Agepen disse que apoia qualquer ação que contribua para a idoniedade dos servidores da instituição, e qualquer informação a respeito da operação deverá ser solicitada ao Gaeco. 

 

Operação Paiol

Operação para desarticular o Primeiro Comando da Capital, facção criminosa que age dentro e fora dos dos presídios, foi deflagrada nesta terça-feira (12) pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (GAECO), Batalhão de Operações Policiais Especiais (BOPE) e Batalhão de Choque da Polícia Militar em Campo Grande, Corumbá, Nova Andradina e no estado de Goiás.






VEJA MAIS