Estado vai receber R$2 mi para equipar polícia e colocar em prática prevenção ao Crack

Redação


Os instrumentos que Mato Grosso do Sul irá receber para operar o Plano do Governo Federal “Crack, é possível vencer”, que será desenvolvido em parceria entre as forças policiais estaduais e municipais, na região do bairro Los Angeles, em Campo Grande, foram anunciados nesta terça-feira (31) durante reunião com o secretário de Estado de Justiça e Segurança Pública (Sejusp), Wantuir Jacini.

Aproximadamente R$ 2 milhões serão investidos na compra de instrumentos para equipar e qualificar as polícias que irão atuar diretamente nas ações do plano com enfoque na prevenção. Segundo Jacini as ações preponderantes são de responsabilidade das Secretarias de Saúde, Trabalho e Assistência Social e Educação. “A Segurança Pública dará o apoio necessário para estes órgãos atuarem e os recursos recebidos são ferramentas importantes para o cumprimento do papel da polícia junto à comunidade”, ressaltou o secretário de Segurança Pública.

De acordo com o planejamento dos investimentos para este ano, Mato Grosso do Sul irá receber uma base móvel, modelo van, equipada com instrumentos e monitores para acompanhar o videomonitoramento na região, 20 câmeras com postes para monitorar as ruas do bairro, duas motocicletas, 50 armas elétricas e 150 disparadores de gás, conhecidos como sprays de pimenta. Para aplicação do plano “Crack, é possível vencer” ainda serão disponibilizados cursos de capacitação de policiais para melhor atuar nas ações, nas abordagens dos cidadãos e em situação de risco.

Para 2013 o governo Federal vai destinar recursos de acordo com o planejamento de cada região. “Os Estados podem apresentar o projeto das ações de combate ao crack, em conformidade com a realidade observada e detectada em cada localidade, para posteriormente receber investimentos a serem aplicados em segmentos específicos, visando o melhor desempenho das ações e destino dos recursos”, explicou o superintendente de Segurança Pública da Sejusp, André Matsushita.

Cursos

Visando a capacitação do contingente policial que irá atuar diretamente nas ações do plano “Crack, é possível vencer”, 88 policiais passarão por cursos de capacitação, segundo o Termo de Referência, que irá qualificar multiplicadores e promotores. A habilitação é destinada a atender a demanda da Polícia Militar (40 vagas), Polícia Civil (20 vagas), Corpo de Bombeiros (10 vagas), Coordenadoria Geral de Perícia (2 vagas), Centro Integrado de Operações de Segurança – Ciops (8 vagas), além do efetivo da Guarda Municipal da Capital (8 vagas).

As capacitações de enfrentamento ao crack e outras drogas serão feitas por meio do Curso Nacional de Multiplicador de Polícia Comunitária e acontecerão através de duas edições com 160 horas/aulas, referentes aos Tópicos Especiais em Polícia e Ações Comunitárias (Tepac) abordando as Redes de Atenção e Cuidados e outras duas edições do Tepac enfatizando a Abordagem Policial a Pessoas em Situações de Risco, além do módulo inicial de Multiplicadores, requisito fundamental para as demais fases da capacitação.

Para o coordenador estadual de Polícia Comunitária, coronel Carlos Santana Carneiro, a capacitação vai aumentar ainda mais a interação dos segmentos da Segurança Pública e proporcionar a troca de informações da realidade vivida por cada instituição, além de planejar e desenvolver ações integradas entre as polícias. “Com estes cursos poderemos qualificar os policiais para ter mais condições de relacionar-se com a comunidade, proporcionar orientações preventivas, lidar com os usuários e melhor encaminhar as vítimas do crack”, explicou o coronel.

Santana lembrou ainda que estes tipos de ações vêm ao encontro da política do governo do Estado de implantar uma gestão participativa de acordo com a filosofia da Polícia Comunitária. “Esta visão quer aproximar ainda mais e aumentar a credibilidade da instituição junto á comunidade”, finalizou.

Participaram também da reunião o comandante-geral da Polícia Militar, coronel Carlos Alberto David dos Santos; diretor-geral da Polícia Civil, Jorge Razanauskas Neto; o diretor do Departamento de Operação de Fronteiras, coronel da PM Edilson Osnei Nazareth Duarte; o comandante-geral do Corpo de Bombeiros, coronel Ociel Ortiz Elias e o coordenador-geral de Perícias, Nelson Fermino Júnior.

Assessoria

Cobertura do Jornal da Nova

Quer ficar por dentro das principais notícias de Nova Andradina, região do Brasil e do mundo? Siga o Jornal da Nova nas redes sociais. Estamos no Twitter, no Facebook, no Instagram e no YouTube. Acompanhe!