Após levantamento da força-tarefa, governador determina ajuda emergencial a Porto Murtinho

Subcom


Uma força-tarefa do Governo do Estado passou a manhã desta quinta-feira (28) em Porto Murtinho, levantando os estragos provocados pela chuva – de quinta a segunda-feira, o índice pluviométrico chegou a 340 milímetros. Esse diagnóstico foi determinado pelo governador Reinaldo Azambuja, para que a administração estadual possa auxiliar emergencialmente e com rapidez. Hoje mesmo a Coordenadoria Estadual da Defesa Civil (Cedec) começou a preparar o envio de cerca de 100 cestas básicas de alimentos que podem atender as necessidades de uma família com 4 pessoas durante 30 dias, além de cobertores, colchões e travesseiros. A ação do executivo estadual teve a participação dos deputados federais Zeca do PT e Vander Loubet, ambos de Porto Murtinho. Os caminhões com os produtos devem sair de Campo Grande nesta sexta-feira.

Leia também

>> Governo determina agilidade no atendimento às famílias desabrigadas pela chuva

 

“Não é fácil para ninguém ter que deixar a sua casa da noite para o dia. Determinei que o nosso governo preste o atendimento necessário para amenizar a situação dos desabrigados e desalojados”, afirmou o governador. Também foi liberado hoje para a Secretaria Municipal de Saúde nesta quinta-feira R$ 300 mil para a compra de medicamentos. O recurso é originário de emendas parlamentares de Zeca do PT (R$ 100 mil), Vander Loubet (R$ 100 mil) e a contrapartida do Governo do Estado. Ao acompanhar os trabalhos da força-tarefa em Murtinho, os parlamentarem elogiaram a agilidade na tomada de medidas pelo governador Reinaldo Azambuja. Eles destacaram a importância do perfil municipalista do governador, que tem atendido todos os municípios sem distinção partidária, priorizando o bem-estar da população do Estado.

 

Além desse apoio humanitário o Governo do Estado, via Cedec, está dando toda orientação à Defesa Civil Municipal no preenchimento do relatório no S2iD (Sistema Integrado de Informações sobre Desastres), primeiro passo após a decretação da situação de emergência pelo prefeito. O preenchimento correto é importante para agilizar a homologação e reconhecimento da emergência na cidade, por parte dos governos federal e estadual. E isso deve ser feito no prazo de 15 dias a partir do decreto municipal de situação de emergência.

 

O titular da Cedec, coronel Isaías Bittencourt, explicou que o governo estadual também está auxiliando a Prefeitura na elaboração do plano para a solução dos problemas identificados que contribuíram para a retenção da água da chuva no bairro Cohab e que provocou o alagamento. Segundo ele, é preciso fazer a limpeza dos canais usados para o escoamento da água e o conserto de duas das três bombas da casa das máquinas, de onde é feita a drenagem da água acumulada. A Agência Estadual de Gestão de Empreendimentos (Agesul) também está ajudando na montagem desse documento, que deve ser encaminhado ao Governo Federal, para que Porto Murtinho possa contar também com a ajuda da União.

 

Representando o governador Reinaldo Azambuja, o secretário de Estado de Administração e Desburocratização, Carlos Alberto de Assis, afirmou que a determinação é para que seja dado todo o apoio à solução do problema e atendimento às famílias atingidas. “Além de prestar solidariedade às famílias, o governador Reinaldo Azambuja determinou o envio de cestas básicas de alimentos, colchões e cobertores e ajuda na limpeza dos canais”, afirmou.

 

A força-tarefa percorreu o bairro Cohab, onde ficam as 76 casas alagadas, e também o Centro de Múltiplo Uso, para onde o 63 desabrigados foram levados pela Prefeitura municipal. Outros 300 moradores desalojados estão em casa de parentes, segundo informou o prefeito Derley Delevatti. O nível da água está baixando, mas a orientação é para que não retornem para as casas ainda, pois a previsão é de ocorrência de chuvas até a próxima quarta-feira (3).

 

Após a verificação da situação das casas alagadas pela Cedec, Defesa Civil Municipal e Assistência Social de Porto Murtinho, ficou definido que nenhuma família poderá voltar a ocupar os imóveis sem laudo do Corpo de Bombeiros atestando que não existe risco às famílias.

Cobertura do Jornal da Nova

Quer ficar por dentro das principais notícias de Nova Andradina, região do Brasil e do mundo? Siga o Jornal da Nova nas redes sociais. Estamos no Twitter, no Facebook, no Instagram e no YouTube. Acompanhe!