Prefeitura em Nova Andradina abre processo administrativo para apurar ''sumiço'' de 10 doses de vacina Coronavac

Servidora alvo das denúncias não foi afastada, apenas trocou de ESF
Luis Gustavo, Da Redação / Imagens: Saul Schramm
05/04/2021 19h00
A portaria de instauração administrativa foi assinada pelo prefeito Gilberto Garcia / Imagens: Saul Schramm

A Prefeitura Municipal em Nova Andradina está apurando o sumiço de 10 doses de vacina Coronavac contra covid-19, que teria ocorrido no ESF (Estratégia Saúde Família) Centro, no mês de janeiro deste ano.

 

Uma servidora é alvo de PAD (Processo Administrativo Disciplinar) instaurado há 18 dias, que apura possíveis irregularidades no manejo de doses de vacinas disponibilizadas pelo Governo Federal e transferidas pelo Governo do Estado para os municípios.

 

O Jornal da Nova apurou que a servidora C.A.M. no dia 24 de janeiro deste ano, durante o processo de trabalho ocasionou o desperdício de uma dose do imunobiológico da covid-19 por queda do produto.

 

Dois dias depois, a mesma servidora ministrou uma dose sem a prévia autorização por parte da equipe de Vigilância Epidemiológica, uma vez que a paciente que recebeu o imunizante (profissional de saúde – médica I.M.C.) não preenchia os requisitos para recebê-lo, pois profissional não dispõe de vínculo com rede pública ou privada no município.  

 

Ainda no mesmo dia (26) de janeiro, foram dispensadas 120 doses do imunobiológico Coronavac à ESF (Estratégia de Saúde da Família) do Centro, sendo que na prestação de contas realizada pela servidora C.A.M., recebida pela equipe de Vigilância no dia 5 de fevereiro, observou-se que foram administradas apenas 111 doses.  

 

A servidora alvo das denúncias justificou que nove doses da Coronavac foram inviabilizadas para administração no dia 2 de fevereiro em decorrência de expirar o prazo de 8h para a sua utilização após abertura do frasco, pois teria ido à Delegacia de Polícia Civil registrar um boletim de ocorrência de uma situação que havia acontecido no ESF Centro naquele dia e quando retornou deixou transcorrer o prazo restante para a administração do imunobiológico da covid-19.

 

Em mais uma denúncia, a servidora prescreveu no relatório de prestação de contas que ministrou a primeira dose da vacina Coronavac numa servidora técnica de enfermagem da ESF Centro, identificada por E.A. da S. F., sendo que a mulher afirmou que não recebeu.

 

A servidora também foi denunciada por ministrar, a priori, no dia 20 de janeiro, na Funsau/NA (Fundação de Serviços de Saúde em Nova Andradina) uma dose na funcionária pública D.G.B.P. sem constar no relatório de prestação de contas, bem como sem possuir dose disponível.

 

A Secretaria Municipal de Saúde orientou que no final de cada expediente, se existisse frasco aberto com doses de imunobiológico da covid-19, deveria comunicar os coordenadores para que outras pessoas fossem encaminhadas para a imunização, a fim de não acontecer desperdício das doses.

 

Diante disso, a servidora está respondendo o Processo Administrativo Disciplinar pelo desperdício de 10 doses do imunobiológico da covid-19, bem como por ter ministrado doses, em tese, em pessoa sem prévia autorização por parte da Vigilância Epidemiológica.

 

Também por ter inserido, em tese, informação errada de ministração de dose em pessoa que não recebeu e ter ministrado dose “avulsa” em pessoa sem conhecimento de seus superiores.

 

A portaria de instauração administrativa foi assinada pelo prefeito Gilberto Garcia.

 

A reportagem também apurou que vários servidores públicos já foram ouvidos e a responsável pelo setor de vacinação do ESF Centro teria sido transferida para outro ESF, cumprindo o PAD (Procedimento Administrativo Disciplinar), mas continua trabalhando.



Comunicar erro




VEJA MAIS